• Quinta-feira, 11 de agosto de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Crise do agronegócio...um problema para toda a sociedade


Quarta-feira, 27 de julho de 2005 - 13h09

Crise no agronegócio. Por quê? Clima ruim e quebra de safra, preços baixos, custos altos. De um lado, o Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento – MAPA, tenta dar apoio às solicitações dos produtores rurais que fizeram, inclusive, um “tratoraço” em Brasília. O pessoal do MAPA sabe que a agropecuária passa por uma crise. De outro, representantes das forças negativas, como o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra - MST, comemoram arrotando com o velho “eu não disse” que o resultado do agronegócio era uma falácia, uma mentira para defender os antigos interesses da oligarquia rural. Ah, a velha oligarquia rural, em pleno século XXI. Sem chuva não há produção! Cai a produtividade. Soma-se ainda os preços baixos, custos altos, etc. temos uma crise enorme no setor. A crise é tamanha que a CNA - Confederação Nacional para Agricultura e Pecuária, estima queda de cerca de R$22,6 bilhões no valor bruto das seis maiores atividades agropecuárias do país, em importância econômica: soja, pecuária de corte, milho, frango, cana-de-açúcar e leite. Em relação a 2004, em valores corrigidos, trata-se de uma queda de 17,5% só dessas seis maiores atividades. Bem feito para o agronegócio???? Ótimo saber que lideranças sociais (MST) pensam assim. O setor devia denunciar tais pronunciamentos. Num momento em que máscaras caem, seria bom reforçar o quão preocupado com a sociedade estão alguns movimentos sociais. Bom, além destes números, deve-se divulgar o estudo do BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, que relaciona a criação de quase 1,2 milhões empregos diretos, indiretos e sob efeito renda para cada R$10 milhões de demanda anual que se gera no campo. Quanto o Brasil perderá de empregos com o mau resultado? Segundo notícias divulgadas pelo Agrolink, o cadastro geral de empregados e desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), mostra que entre janeiro e junho deste ano o Brasil apresentou um saldo 7,1% menor em relação a igual período do ano passado em empregos formais. Sozinha, a atividade agropecuária apresentou o pior resultado registrado nos últimos quatro anos. O saldo deste ano é 15,4% menor que o do primeiro semestre de 2004. Isso representa menos 29 mil empregos. O caso da agricultura, em 2005, exige soluções e medidas, especialmente para os pequenos agricultores empresariais. Quem são eles? Aqueles que, mesmo contra todas as diversidades, buscam produzir de maneira tecnificada, sem poesia e sem bucolismo. É trabalho duro mesmo. maurício palma nogueira é engenheiro agrônomo, diretor e coordenador da divisão de gestão empresarial da scot consultoria
<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook