• Domingo, 22 de julho de 2018
Scot Consultoria

Carta Leite - Captação de leite cresce no primeiro trimestre de 2018, mas os efeitos da greve dos motoristas de caminhão poderão desacelerar a oferta


Sexta-feira, 29 de junho de 2018 - 10h00
-A +A

 


A pesquisa trimestral do leite, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), referente aos primeiros três meses deste ano, foi publicada em 14 de junho.


De janeiro a março foram coletados 6 bilhões de litros de leite, aumento de 2,4% em relação a igual período do ano passado.


Para o levantamento foram considerados os volumes de leite adquiridos pelos laticínios com algum tipo de inspeção sanitária (municipal, estadual e/ou federal).


O volume cresceu em todos os períodos na comparação mês a mês. Veja na figura 1.


Figura 1.


Volume de leite adquirido em 2017 e 2018 no Brasil - em bilhões de litros.



Fonte: IBGE / Elaborado por Scot Consultoria - www.scotconsultoria.com.br


Lembrando que no primeiro trimestre de 2017, o volume captado havia reagido 0,01% frente a igual período de 2016 (IBGE).


Além da oferta de leite melhor nos primeiros meses deste ano, a demanda comedida na ponta final da cadeia limitou as altas no preço do leite para o produtor no primeiro trimestre.


Fator greve dos caminhoneiros


No final de maio ocorreu a greve dos caminhoneiros, que começou no dia 21 e perdurou por dez dias. Neste período não houve transporte do leite cru (matéria-prima) e de produtos lácteos e laticínios interromperam ou reduziram a captação.


Além das perdas diretas, o setor deve sentir as consequências em médio e longo prazos, já que além de não conseguir captar matéria-prima e distribuir lácteos ao varejo, nas fazendas faltaram insumos para as vacas, comprometendo a alimentação do rebanho.


A falta de alimentos e dietas pobres em nutrientes afetam a persistência da lactação em vacas em produção. Como efeito, é esperada uma redução acentuada na produção neste período afetando o desempenho nacional da produção de leite no segundo semestre.


Segundo o Índice Scot Consultoria para a Captação de Leite, em abril, na média nacional, o volume médio de leite captado caiu 2,8% frente a março, e 1,1% em relação a igual período do ano anterior.


Para maio, os dados parciais apontam para uma queda entre 6 a 12% na produção brasileira, na comparação mensal.


A expectativa é de que a produção siga em queda no Brasil Central e região Sudeste até julho/agosto (entressafra).


No Sul do país, onde normalmente a produção começa a aumentar em maio, com as pastagens de inverno, este ano o incremento deverá vir mais tardiamente, em junho/julho, devido aos prejuízos da greve e também à falta de chuvas em regiões produtoras.


O mercado, que antes da greve vinha dando sinais de que os ajustes seriam menores daqui para frente, com os preços recebidos pelos produtores subindo até julho/agosto, mas em ritmo menor que o observado nos pagamentos anteriores, com a greve o viés de alta ganhou força e a intensidade dos aumentos deverão ser maiores que o previsto, até que o mercado se equilibre.


No mercado spot, leite comercializado entre as empresas, em junho aconteceram negócios em até R$2,10 por litro.


O preço do leite longa vida (UHT) subiu na primeira quinzena de junho, no atacado e no varejo.


No atacado, o preço médio subiu 22,9%, frente à segunda metade de maio, cotado em R$2,92/litro. Este é o maior preço médio desde agosto de 2016.


No varejo, o aumento foi de 10,4% em igual comparação.  O preço médio vigente, R$3,53/litro, é o maior desde setembro de 2016.


http://scotconsultoria.com.br/bancoImagensUP/180618_carta_leite_1.jpg

<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>

Buscar
Scot - Facebook Leite
 
Scot - Facebook Scot - Twitter Scot - Youtube Scot - Instagram Scot - Rss

Newsletter diárias

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


TV Scot

Rádio Scot



Loja

Facebook



  • Copyright 2018, Scot Consultoria, Rua Coronel Conrado Caldeira, 578 • Bebedouro - SP - Brasil - 14701-000 | +55 17 3343 5111

Receba nossos relatórios diários e gratuitos