• Sexta-feira, 15 de novembro de 2019
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Carta Insumos - Vão começar as vendas de sementes de capim


Quarta-feira, 25 de setembro de 2013 - 17h20

A colheita de sementes de capim está praticamente finalizada no país.


Aos poucos as revendas estão recebendo sementes da nova safra. Até o momento, a precificação destes materiais é determinada, quase que exclusivamente, pelo que foi desenhado nos campos de produção. 


O mercado de sementes de Panicuns está cada vez mais pressionado em função do aumento na área plantada.


O capim Marandu, por sua vez, que responde por mais de metade das vendas do segmento, sofreu significativa redução de cultivo e, o preço não para de subir.


Em pesquisa feita pela Scot Consultoria em 80 fazendas de pecuária com alta e média tecnologia na região Sudeste e Centro-Oeste, totalizando 250,0 mil hectares, foi constatado que 58,2% dos pastos estão ocupados com Brachiaria brizantha cv. Marandu.


Todos os capins do gênero Panicum, somados, totalizaram 16,4% da área.



Mesmo com a comercialização ainda devagar, a cotação da semente de Marandu atingiu o maior valor do ano nos principais estados produtores de sementes. Veja na tabela 1, o preço das sementes de braquiarão e dos Panicuns.



Veja na tabela 1, o preço das sementes de braquiarão e dos Panicuns. 



Custo por hectare


Está mais caro plantar um hectare de braquiarão do que um de Mombaça, considerando o valor cultural (V.C.) mais encontrado para cada uma das sementes nas revendas.


Com os preços apresentados na tabela 1, gasta-se, em média, R$98,65/ha de sementes de Marandu, contra R$92,70/ha de Mombaça, 6,0% menos.



É claro que é preciso considerar que este cultivar de Panincun é mais exigente em fertilidade, o que eleva os gastos com adubação, perdendo, muitas vezes, a vantagem obtida na compra de sementes.


Porém, o destaque é para a comparação de preços entre elas. 


Em setembro de 2012, por exemplo, um hectare de Mombaça custava, em média, R$123,53 enquanto o Marandu ficava em R$103,50.


Final


Por fim, a tendência é que o Marandu ganhe fôlego e os preços encontrem espaço para subir quando os pecuaristas forem às compras. Já os Panicuns, pode haver uma diminuição no movimento baixista.


A hora ideal para a compra pode estar chegando ao fim.


O mercado do boi gordo firme e os preços do leite nos maiores valores já registrados, devem favorecer as vendas. A distribuição da entrega de sementes ao pecuarista varia conforme a região pesquisada. A dinâmica é determinada pelas chuvas. (Figura 3).


No Centro-Sul do país e na Bahia, o pico de comercialização geralmente ocorre em novembro. Setembro é o mês em que a procura começa a ganhar corpo. A partir de janeiro, no Sudeste, e fevereiro, no Centro-Oeste, as vendas começam a arrefecer de forma significativa. 



A figura 3 é importante para quem quer fugir dos picos de preços, comprar a valores menores e reduzir custos.


O pasto é a base da pecuária nacional. Com um investimento que se dilui ao longo de anos de utilização, dificilmente não é um investimento extremamente viável.



<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>

Buscar
Scot - Facebook Leite
 
Scot - Facebook Scot - Twitter Scot - Youtube Scot - Instagram Scot - Rss Scot - Linkedin

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos



TV Scot

Podcasts



Loja

Facebook





  • Copyright 2019, Scot Consultoria, Rua Coronel Conrado Caldeira, 578 • Bebedouro - SP - Brasil - 14701-000 | +55 17 3343 5111