• Sexta-feira, 14 de junho de 2024
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Mercado da soja e expectativas


Segunda-feira, 4 de setembro de 2023 - 06h00

Zootecnista, formada pela Universidade Estadual Paulista-UNESP com MBA em Gestão de Negócios pela Pecege USP/Esalq. É editora-chefe da área de pecuária de leite e da Carta Leite. Pesquisadora e analista do mercado pecuário (boi gordo, leite, grãos, frangos, suínos e insumos para a atividade). Ministra palestras e treinamentos nas áreas de mercado de leite, boi gordo, grãos e assuntos relacionados à agropecuária em geral.



Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o Brasil produziu na safra 2022/23, 154,5 milhões de toneladas de soja, crescimento de 23,1% frente às 125,5 milhões de toneladas produzidas na temporada passada.


Com o aumento da produção e com um quadro de oferta e demanda internacional menos apertado que o observado em anos anteriores, os preços sofreram forte queda na safra 2022/23 (figura 1).


Figura 1.
Preço médio da soja em Paranaguá-PR, em R$/saca de 60 quilos.



*ago/23 – dados até 28/8
Fonte: Scot Consultoria


Apesar de preços menores que os do ano passado, o mercado, desde junho/23 tem acompanhado a safra norte-americana e a cotação reagiu.


O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), que até julho/23, manteve as estimativas para a produção local, reduziu, em agosto/23, a produtividade e produção no país. O clima passou a pesar nas regiões produtoras do grão nos Estados Unidos, com a falta de chuvas e temperaturas elevadas, boa parte das lavouras passaram a conviver com a seca na safra 2023/24.


A produção norte-americana em 2023/24 está estimada em 114,5 milhões de toneladas, 2,1% menor frente às expectativas de julho/23 e 1,6% menor que no último ano safra.


Devido ao quadro apresentado nos EUA, houve um aumento nos preços da oleaginosa na Bolsa de Chicago, colaborando com uma retomada momentânea de preços no Brasil entre julho e agosto, junto a um dólar trabalhando mais próximo aos R$5,00.


A exportação também colaborou com a recuperação nos preços. O Brasil embarcou, até julho/23, 72,4 milhões de toneladas de soja em grão, 20,0% acima do mesmo período do ano passado.


Em agosto, até a terceira semana, foram exportadas 5,4 milhões de toneladas (384,0 mil toneladas por dia), um incremento de 48,6% na média diária ante agosto/22 (258,5 mil toneladas).


Expectativas

Em curto prazo,  


A perspectiva mais longínqua, por ora, é de que o consumo global da oleaginosa em 2023/24 crescerá 5,7% em relação à safra 2022/23, já a exportação brasileira, aumentará 2,7% (tabela 1).


Tabela 1.
Consumo global de soja em grão, exportação brasileira de soja e consumo brasileiro, em milhões de toneladas.


*expectativa
Fonte: USDA


Para o mercado interno, a perspectiva é de que o consumo aumente 5,1%, pautado no crescimento da exportação do farelo e do óleo de soja e no maior consumo dos derivados no país.


Referências

Companhia Nacional de Abastecimento (Conab)


Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA)


Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços


Scot Consultoria



<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>

Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja