• Quarta-feira, 10 de agosto de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Carnes de dianteiro seguem como mais demandadas este ano


Segunda-feira, 13 de maio de 2013 - 17h12

Zootecnista, formado pela Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias - UNESP, Campus de Jaboticabal-SP. Mestre em Administração de Organizações Agroindustriais pela mesma instituição.


Os cortes de dianteiro têm puxado o mercado de carne bovina sem osso este ano.


Na última semana, estes produtos atingiram o maior preço do ano, R$7,31/kg, valorização de 12,3% desde o começo de fevereiro, quando o comportamento altista teve início. 



Isto mostra que a população tem preferido produtos de menor valor de mercado.


Além disso, grande parte das exportações do país, tendo Rússia e Oriente Médio como principais destinos, é composta por carnes de dianteiro, o que ajuda no escoamento deste produto.


A carne de traseiro, que começou o ano cotada, em média, em R$14,45/kg, tem sido negociada por R$12,68/kg, valor 12,2% menor. 



O avanço da inflação do país, que reduz o poder de compra da população, pode estar contribuindo também para a busca de produtos de menor valor de mercado, como os cortes de dianteiro.


A disponibilidade interna de carne tem crescido em 2013. Com mais traseiro em estoque, maior a tendência de baixa para estes produtos.



<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>

Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook