• Sábado, 13 de agosto de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Embarque de carne deve crescer em 2017


Quarta-feira, 30 de novembro de 2016 - 09h20


Após frustrar expectativa dos frigoríficos em 2016, as exportações brasileiras de carne bovina devem registrar um melhor desempenho no próximo ano devido ao câmbio mais competitivo e à maior disponibilidade de boi gordo no Brasil. Essa é a avaliação do presidente da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec), Antonio Jorge Camardelli.


"Acreditamos que teremos um resultado bastante melhor em 2017", afirmou Camardelli na última sexta-feira, em debate sobre pecuária bovina promovido pela Scot Consultoria, em São Paulo.


De maneira geral, a rentabilidade das exportações de carne bovina se deteriorou ao longo de 2016 em decorrência do movimento de valorização do real ante o dólar.


Em outubro, a moeda americana chegou a ser negociada abaixo de R$3,20 depois de ter se aproximado de R$4,00 no início deste ano. Essa queda, reconheceu Camardelli, afetou as exportações do setor.


De fato, as exportações de carne bovina neste ano estão aquém do que a Abiec projetou. No fim do ano passado, a entidade estimou que os embarques cresceriam 25,0% em 2016, somando 1,76 milhão de toneladas. No acumulado de janeiro até outubro, no entanto, as exportações de carne bovina do Brasil cresceram bem menos - 7,9% -, totalizando 1,1 milhão de toneladas.


Com a eleição de Donald Trump à presidência dos EUA, o movimento cambial se alterou e o dólar vem se valorizando, atingindo patamares mais "competitivos" para os exportadores de carne bovina do Brasil. Nesse cenário, as vendas ao exterior devem ser beneficiadas em 2017.


A expectativa do presidente da Abiec é de que a moeda americana oscile entre R$3,40 e R$3,50.


O câmbio não foi, contudo, o único fator que prejudicou o desempenho das exportações em 2016. De acordo com Camardelli, as vendas para mercados como Rússia e Venezuela, países que enfrentam crise econômica, se reduziram. Mais recentemente, a escassez de dólares no Egito, um dos cinco maiores importadores da carne bovina brasileira, passou a atrapalhar as vendas dos frigoríficos. Em outubro, as compras do país africano diminuíram 61,9% ante o mesmo intervalo de 2015. Em novembro, as dificuldades no Egito seguiram, acrescentou o dirigente.


Em relação à oferta de gado bovino, Camardelli se mostrou otimista. Após dois anos de queda dos abates devido à menor disponibilidade de animais, a expectativa é de que a oferta permita que os preços do boi fiquem mais baixos - o presidente da Abiec prefere falar em preços "competitivos". A avaliação de Camardelli foi corroborada pelo analista Alex Lopes, da Scot Consultoria, no mesmo evento. Para ele, o preço do boi gordo cairá em termos reais em 2017.


A perspectiva positiva para os frigoríficos, no entanto, não é um consenso. A razão é que o comportamento da demanda por carne bovina é uma grande incógnita, afirmou o diretor de relações com pecuaristas da JBS, Fábio Dias, durante palestra na sexta-feira. De acordo com o executivo, não há sinais de retomada da demanda por carne nos mercados interno e externo.


"Hoje, não temos na mão indicativos de exportação e de mercado interno", afirmou Dias. Segundo ele, a única certeza da JBS em 2017 é que haverá demanda por produtos de valor agregado - carnes com marca, como a de carne de bovinos da raça angus - nos mercados. Mas esse segmento de valor agregado não representa a maior parte das vendas de carne do Brasil.


Por outro lado, o economista e sócio da MB Agro, braço da consultoria MB Associados, Alexandre Mendonça de Barros, disse estar mais otimista quanto à recuperação do consumo de carnes no Brasil. De acordo com ele, o setor de alimentos deve se recuperar antes de outros segmentos da economia brasileira.


Para o analista, a queda dos preços de alimentos - as cotações de feijão e milho tendem a recuar - favorece a demanda no país, na medida em que permite que os consumidores melhorem a cesta de compras.


Link da notícia: http://www.valor.com.br//agro/4788915/embarque-de-carne-deve-crescer-em-2017


Por valor.com.br



<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>

Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook