• Sábado, 13 de agosto de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Abate de bovinos cai 7,7% no 1o. trimestre e deve continuar a diminuir no ano


Quarta-feira, 1 de julho de 2015 - 11h11

O abate de bovinos no Brasil caiu 7,7% no primeiro trimestre de 2015 ante o mesmo período do ano passado, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados na quinta-feira (25), refletindo a reduzida oferta de boi gordo com consequente fechamento de frigoríficos neste ano.


A escassez de boi ainda deve continuar ao longo de 2015 e a queda nos abates tende a ser intensificada, principalmente com a entrada da entressafra em julho, segundo o zootecnista e consultor de mercado da Scot Consultoria, Alex Lopes.


"Provavelmente, vamos terminar o ano com queda no abate até mais intensa. Acredito que algo próximo de queda de 10% é possível", disse Lopes à CarneTec na quinta-feira. Ele acredita que a oferta de boi para abate possa estar mais recomposta apenas em 2017.


De janeiro a março deste ano, 7,73 milhões de cabeças de bovinos foram abatidas, número que também ficou 9,3% abaixo do registrado no quarto trimestre de 2014.


O peso acumulado de carcaças no primeiro trimestre caiu 5,9% em relação ao mesmo período do ano passado, e 10,8% na comparação com outubro a dezembro de 2014, para 1,84 milhão de toneladas, informou o IBGE em comunicado.


As principais quedas nos abates de bovinos ocorreram nos estados de Mato Grosso (-179.260 cabeças) e em Mato Grosso do Sul (-118.023 cabeças), onde houve diversos fechamentos de plantas frigoríficas neste ano diante da escassez de matéria-prima.


Outros estados que registraram fortes quedas nos abates foram Goiás (-105.748 cabeças), Minas Gerais (-72.018 cabeças), São Paulo (-70.402 cabeças) e Paraná (-43.186 cabeças). Já no Pará (+48.749 cabeças) e Maranhão (+13.590 cabeças), houve aumentos nos abates.


Abates de frangos e suínos aumentaram


O abate de frangos teve aumento de 2,1% no primeiro trimestre na comparação com o mesmo período do ano passado, a 1,38 bilhão de cabeças. Já na comparação com o trimestre de outubro a dezembro de 2014, houve queda de 1,9%.


O Sul do país foi responsável por 59,2% do abate nacional de frangos no primeiro trimestre, seguido do Sudeste (20,5%), Centro-Oeste (15,1%), Nordeste (3,7%) e Norte (1,5%).


O abate de suínos aumentou 4,2% no primeiro trimestre, na comparação anual, para 9,17 milhões de cabeças. Em relação ao último trimestre de 2014, houve queda de 3,4%.


Fonte: Revista Carnetec, por Anna Flávia Rochas. Publicado em 26/06/2015 - http://www.carnetec.com.br/Industry/News/Details/59309



<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>

Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook