• Sexta-feira, 24 de setembro de 2021
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

TIP: Terminação Intensiva em Pasto


Segunda-feira, 2 de novembro de 2020 - 14h00

Foto: Scot Consultoria


Introdução

A bovinocultura de corte, no âmbito nacional, é caracterizada por produção em pasto. Estima-se que o Brasil detenha 180 milhões de hectares em pastagens, na qual 95 milhões de hectares estão com algum indício de degradação (LAPIG¹).


A produção de carne, no entanto, não é diretamente proporcional ao tamanho da área com pastos.


Entendendo os números

O Brasil produziu 10,2 milhões de toneladas de carne bovina em 2019 (USDA²), com um rebanho bovino estimado em 214,4 milhões de cabeças (IBGE³). Comparando, por exemplo, com a pecuária norte-americana, os Estados Unidos produziram no mesmo período 12,4 milhões de toneladas de carne bovina (USDA²), com um rebanho bovino de 94,4 milhões de cabeças (USDA²).


Estes dados, tratados isoladamente, informam-nos poucas coisas sobre a pecuária de corte de cada país, porém, ao levantarmos o número de cabeças abatidas, podemos saber, por exemplo, qual é a taxa de desfrute.


TIP: Terminação intensiva em pasto

A forma usual de terminação nos Estados Unidos é em confinamento, já no Brasil a estimativa é de que 90% das cabeças abatidas sejam oriundas de pastagens. E o que isso nos diz?


Nos diz, entre outras coisas, que não é preciso confinar toda a boiada destinada para abate, e que intensificar a terminação em pasto pode melhorar o desempenho da pecuária nacional. E é nesse ponto que o TIP (Terminação Intensiva em Pasto) chama a atenção.


A TIP é uma das diversas estratégias que melhora a velocidade de terminação do rebanho, cuja característica é balanço da dieta e do fornecimento da ração na própria área de pastejo.


As diferenças dessa estratégia em relação ao confinamento são: menor custo operacional e estrutural, facilidade no manejo e participação do pasto na dieta.


O bovino consome a mesma quantidade de ração no pasto como se estivesse confinado; a diferença é que o pasto compõe a fonte de alimento volumoso, diminuindo os custos operacionais de fornecimento do alimento.


Relacionado com a sustentabilidade

O objetivo desse sistema não é só o aumento da lucratividade, mas também o aumento da produção de carne por área.


O Brasil tem uma produtividade média de 5@/ha/ano e 0,86(UA/ha), com um grande potencial de crescimento (LAPIG¹).


Conclusão

Os sistemas intensivos de terminação estão, diretamente, atrelados à sustentabilidade da pecuária nacional. Conforme vamos intensificando os sistemas de produção, menos área necessitaremos para produzir a mesma quantidade de carne que produzimos hoje.


A bovinocultura de corte, é vista como “vilã” em relação ao meio ambiente, pois, normalmente, após desmatamentos ilegais, a primeira atividade econômica que se inicia nessas áreas são a cria, recria ou engorda de bovinos.


O foco deve ser a intensificação da produção e a fiscalização da originação dos animais. Incluir e não excluir.


Por isso que, o TIP é uma das alternativas para a produção sustentável de carne bovina.


Bibliografia consultada


¹ Laboratório de Processamento de Imagens e Geoprocessamento


² Departamento de Agricultura dos Estados Unidos


³ Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística
Scot Consultoria, banco de dados




Dia 25 de novembro acontecerá o Encontro de Analistas da Scot Consultoria, um evento em que grandes especialistas discutirão as principais tendências econômicas e seus reflexos no mercado do boi gordo. Entre em contato conosco pelo WhatsApp 17 98171 2100 e aproveite as condições de pré-lançamento. Vagas limitadas.


<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>

Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook