• Quarta-feira, 29 de junho de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Baixo acesso à União Europeia preocupa setor da carne bovina


Quarta-feira, 12 de agosto de 2009 - 15h20

Menor consumo e preços baixos já são problemas enfrentados O setor de carne bovina está preocupado com o acesso à União Europeia. A demora na liberação de fazendas habilitadas a exportar para o bloco é um dos principais problemas para a pecuária de corte. Analistas alertam que o setor da carne bovina já enfrenta problemas no mercado interno, como o menor consumo e o baixo preço. Para agravar a situação, ainda existe restrição de crédito internacional e queda nas exportações. Segundo estimativas dos frigoríficos, seriam necessárias pelo menos cinco mil propriedades para que o volume exportado para a União Europeia volte ao mesmo patamar de 2006. Naquele ano, o Brasil embarcou para o bloco 314,2 mil toneladas de carne in natura. O resultado foi uma receita de US$1,16 bilhão. Hoje, de acordo com dados oficiais da União Europeia, 1,33 mil fazendas estão habilitadas a exportar. Conforme o divulgado pela Agência Estado, a falta de infraestrutura é considerada a maior dificuldade para acelerar a habilitação de novas propriedades. A conseqüência é ter pouco acesso a um mercado que compra em grande quantidade e paga bem pelo produto, como analisa a Scot Consultoria. O filet mignon, por exemplo, é comercializado a um preço médio de US$15 mil por tonelada. Na Europa, o valor pago pelo corte é 70% maior, o que renderia US$25 mil por tonelada. No período 2008/2009 o Brasil atendeu apenas 25% da participação que tem na Cota Hilton, que é de 5 mil toneladas. Para 2009/2010, os frigoríficos aumentaram a cota para 10 mil toneladas. E se a indústria sofre, os pecuaristas também. Deixar de produzir um animal habilitado para a Europa significa perder um prêmio que varia de 6% a 8% sobre o valor da arroba. Em São Paulo, a arroba do boi gordo tem sido negociada a aproximadamente R$80,00, valor que subiria para R$85,00 com o pagamento do prêmio. Nessa terça, dia 11, o indicador Esalq/BM&F registrou o valor à vista de R$77,84 por arroba. A prazo, a cotação ficou em R$78,91 por arroba. Fonte: Canal Rural. 12 de agosto de 2009.
<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook