• Quarta-feira, 29 de junho de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Preços do leite voltam a recuar no país


Quarta-feira, 29 de outubro de 2008 - 17h05

Os preços pagos em outubro pelo leite entregue pelos pecuaristas aos laticínios em setembro voltaram a recuar em praticamente todo o país - exceto em alguns Estados do Nordeste -, mas sinais de reações nos mercados spot e de longa vida sugerem que a curva de baixa, contínua desde junho, pode estar perto do fim, a depender dos reflexos da crise internacional. Levantamento da Scot Consultoria realizado em 17 Estados mostra que, no pagamento de outubro, a retração nacional foi de 6,02% em relação a setembro, para R$0,604 na média ponderada. Das cinco principais bacias leiteiras destacadas, a maior baixa foi no Rio Grande do Sul (7,81%), seguido por Minas Gerais (7,51%), Paraná (7,23%), Goiás (5,92) e São Paulo (4,67%). Os valores médios ponderados nacionais estão em queda desde o pagamento de junho (referente ao leite entregue em maio), basicamente em razão do aumento da oferta e da redução da demanda. Cristiane Turco, da Scot, observa, ainda, que mesmo empresas e cooperativas que vinham oferecendo preços maiores aos fornecedores de matéria-prima pisaram no freio para “acompanhar o mercado”. Mas Cristiane aponta que o comportamento dos preços nos mercados spot e de longa vida sugere que o ciclo baixista pode estar no fim. Em outros tempos, a especialista até seria mais contundente, já que normalmente recuperações nesses mercados chegam aos preços pagos aos produtores. Mas, devido às incertezas derivadas da crise, Cristiane mantém a cautela. Na área de leite, o mercado spot é aquele no qual as empresas e cooperativas negociam o produto entre si - os grupos menores normalmente fornecendo aos maiores. Na média paulista, mineira e goiana, houve queda média de 5,85% nessa frente em outubro, para R$0,61 o litro. Mas algumas empresas, conforme Cristiane, já conseguiram negociar com base em valores mais altos que os do mês de setembro. O problema, neste momento, é saber se, em conseqüência do cenário turbulento, haverá uma desaceleração maior da demanda - que já não anda das mais aquecidas - e, em virtude disso, empresas e cooperativas resolvam novamente reduzir os valores praticados no mercado. O levantamento da Scot indica que, com a nova queda em outubro, os preços pagos aos produtores brasileiros de leite estão 25% mais baixos que neste mesmo período de 2007, considerando-se valores atualizados pelo IGP-DI. Ainda levando-se em conta a inflação, é o menor patamar dos últimos 19 meses. Apenas no Estado de São Paulo os pecuaristas ainda recebem mais que R$0,70 por litro. No Paraná e no Rio Grande do Sul, o litro está abaixo de R$0,60. Fonte: Valor Econômico. Agronegócios. Por Fernando Lopes. 29 de outubro de 2008.
<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook