• Segunda-feira, 20 de setembro de 2021
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Carta Conjuntura - Eleições norte-americanas, RCEP e seus efeitos na pecuária brasileira


Quarta-feira, 16 de dezembro de 2020 - 17h00


Novembro trouxe pautas ligadas principalmente a duas questões centrais: as eleições norte-americanas e o acordo comercial asiático (RCEP).


Mas, afinal, quais pontos podem pressionar o mercado brasileiro?


Eleições norte-americanas

Em 3 de novembro, o democrata Joe Biden foi eleito 46o. presidente dos Estados Unidos da América. Sua eleição abriu espaço para indagações que afetam o Brasil, principalmente a respeito da relação EUA e China, estremecida durante no governo Trump, resultando na Guerra Comercial vigente.

Além da relação EUA x China, pautas globais associadas ao clima e a matrizes de energia sustentáveis ou relacionados a questões ambientais, como o desmatamento ilegal na Amazônia, podem compor a agenda norte-americana, refletindo em terras brasileiras.

Cabe também atenção à própria relação do governo brasileiro - copiosamente declarado apoiador do governo Trump - com o novo presidente norte-americano.


RCEP – e o gigante asiático

Somado às eleições norte-americanas, a China, principal importadora de commodities brasileiras, fez parte de um acordo comercial entre países asiáticos e da Oceania, assinado em 15 de novembro, cujas negociações demoraram oito anos. Denominado Parceria Econômica Regional Abrangente (RCEP, na sigla em inglês), o acordo demonstra a organização asiática para diminuir a dependência externa da região.


A RCEP reunirá 2,1 bilhões de consumidores e 30% do PIB mundial. Os países que compõem o bloco são: China, Japão, Coreia do Sul, Austrália e Nova Zelândia, juntamente com os dez países que compõem a Associação de Nações do Sudeste Asiático (Asean) Indonésia, Tailândia, Singapura, Malásia, Filipinas, Vietnã, Myanmar, Camboja, Laos e Brunei (figura 1).


Figura 1. Países que aderiram à Parceria Econômica Regional Abrangente (RCEP).



Fonte: Domínio público.


O acordo dá ênfase a questões tarifárias entre os países membros do bloco, eliminando-as sobre mais de 90% dos bens comercializados entre os membros. 


A RCEP reduz tarifas e estabelece regras em cerca de 20 áreas comerciais, além de eliminar impostos sobre 61% das importações de produtos agrícolas e pesqueiros da Asean, Austrália e Nova Zelândia, juntamente com 56% da China e 49% da Coreia do Sul.


Impactos no Brasil

A vitória de Joe Biden e a abrangência do RCEP trouxeram impactos para o mercado brasileiro, principalmente quanto às questões cambiais. A moeda norte americana caiu 6,3% e arrefeceu os preços das principais commodities brasileiras (figura 2).


Pontos que devem ser acompanhados: a disputa comercial EUA e China, benéfica para o mercado brasileiro em 2020, não pode ser declarada resolvida com a entrada de Joe Biden, mas o democrata deve resgatar a liderança norte-americana no cenário global. 



O Brasil tem sido acusado de negligenciar medidas protetivas no contexto de mudanças climáticas e o anunciado retorno dos EUA, por Joe Biden, ao acordo de Paris, principal acordo mundial sobre mudanças climáticas, mostra que essa será uma das pautas fundamentais nos próximos anos. 


A RCEP trata em seu âmago de questões tarifárias, porém, o avanço em outras questões – principalmente relacionadas a questões sanitárias e de sustentabilidade - não pode ser descartado.


Figura 2. Preços das principais commodities brasileiras em novembro x cotação do dólar.



Fonte: Scot Consultoria


Considerações finais

As políticas internacionais são importantes para o Brasil, e preservá-las é importante.

Possíveis impactos nos sistemas de produção nacional, tendo em vista as demandas internacionais, deverão aumentar e, nesse sentido, fazer o Código Florestal funcionar é, por exemplo, uma medida positiva.

A diplomacia será fator essencial na estabilidade de relacionamento, seja quanto ao governo chinês ou ao governo norte-americano.

Esse e outros pontos foram discutidos no Encontro de Analistas da Scot Consultoria, em 27 de novembro. Confira aqui o relatório de tendências do que foi discutido no Encontro.




Dia 25 de novembro acontecerá o Encontro de Analistas da Scot Consultoria, um evento em que grandes especialistas discutirão as principais tendências econômicas e seus reflexos no mercado do boi gordo. Entre em contato conosco pelo WhatsApp 17 98171 2100 e aproveite as condições de pré-lançamento. Vagas limitadas.


<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>

Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook