• Sábado, 24 de agosto de 2019
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Carta Conjuntura - Consumo de carne bovina nas grandes cidades equivale à produção de quase todo o Centro-Oeste!


Sexta-feira, 7 de junho de 2019 - 15h40


A análise de hoje tem como objetivo falar do maior mercado consumidor de carne bovina: os brasileiros que vivem nas metrópoles. Qual a relevância do consumo deles para a produção nacional? Será que estamos dando a devida atenção a estas pessoas? Para responder estas perguntas, tenho que te contar minha experiência pessoal do último mês. Eu moro em Sinop, a quarta maior cidade do estado de Mato Grosso, 140 mil habitantes¹. Não é pequena, né? Mas, toda vez que vou para a cidade de São Paulo fico pensando: “Como essa cidade tem gente! Meu Deus”.  


Então, no último mês, fui para São Paulo, cheguei no hotel, olhei pela janela, virei para meu marido e disse: “João, olha isso! Acho que Sinop inteira caberia nestes prédios enormes que vemos pela janela!!”. Na sequência, saímos para jantar. Estava uma chuva danada e, naquele trânsito de “Sampa”, me deu uma agonia e eu disse “Nossa, João, mas é muito carro! Como é que pode né?!”.


Pela praticidade, decidimos ir ao shopping. Ao chegar, minha reação: “É muita gente neste shopping! Parece um formigueiro”. Então, meu marido me caçoa: “Mariane, parece que eu trouxe a caipira para passear na ‘capitar’... parece que você nunca viu gente”. A pergunta que deixo para você, que está lendo este texto, é: você tem noção da importância do consumidor das grandes cidades para o seu negócio?


Na figura 1, com o apoio de uma grande amiga e analista de mercado, Marianne Tufani, tentei ilustrar como a população das grandes cidades é importante para a nossa cadeia. Apenas a região metropolitana de São Paulo consome 11% do total de carne bovina produzida no Brasil. Se considerar a população das outras regiões metropolitanas, capitais e municípios com mais de um milhão de habitantes, estamos falando em 30% do consumo nacional. Isto equivale ao abate do estado de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e metade do abate de Goiás! Os três maiores estados produtores de carne bovina²!


Figura 1.
Quem mais consome a carne bovina brasileira?

Fonte: IBGE / Elaboração: M. Crespolini & M. Tufani


Será que estamos dando a devida atenção a estas pessoas? – Quando chegamos ao shopping (a história que estava te contando no início do texto), busquei um restaurante por quilo - uma franquia que você pode encontrar praticamente em todos os shoppings do Brasil. O buffet tinha, em destaque, um bife de picanha, feito na chapa. Fui nele! Adivinha? CARNE DURA, mas MUITO dura! Foi uma experiência muito desagradável, para não dizer frustrante.


Imediatamente tive dois pensamentos: o primeiro foi “devia ter pego frango” e o segundo “Bom, mas se eu quisesse ter comido carne boa devia ter ido em um lugar especializado”. Como pecuarista, me envergonho dos dois pensamentos. No entanto, acredito que estes pensamentos sejam comuns às pessoas que vivem nas metrópoles.


Ainda que o consumidor das grandes cidades seja, de longe, o público mais relevante para a nossa produção nacional, não estamos dando a devida atenção para ele. Imagino que eu não tenha sido a única a degustar aquele bife duro, não é? Você já pensou que são experiências como esta que têm feito com que algumas pessoas mudem seus hábitos de consumo e migrem para o frango?


Eu, particularmente, não acho que a redução do consumo per capita de carne bovina tenha sido apenas resultado da crise econômica. Imagino, inclusive, que a busca por uma carne de melhor qualidade explique o abate recorde de novilhas (veja nesta minha análise). Estas pessoas que comem este “bife duro” podem estar reduzindo o volume de carne bovina consumida total, e optando por um corte melhor aos finais de semana.


Para encerrar - não estamos dando a devida atenção àqueles que consomem pelo menos 30% do total na nossa produção. Estes consumidores não podem ter os dois pensamentos que eu tive! Em relação à carne dura: felizes os americanos que conseguiram transformar carne “fora de padrão”³ em hambúrguer! E eles adoram hambúrguer.


Mas, há outro ponto importante: nós, pecuaristas e pessoas da cadeia da carne bovina, precisamos conectar os nossos maiores consumidores com a produção, com o meio rural: Vamos dar mais atenção à população das cidades, levá-los, de alguma forma, a ter contato com a produção, compreender como ela é feita. É uma missão que todo produtor precisa ter consigo. Adoro a ideia do meu amigo Beto Zillo: precisamos fazer mais churrascos no meio da Avenida Paulista. Precisamos trazer estas pessoas para “sujar a botina”, só assim entenderão o quanto de suor, esforço, dedicação, empregos gerados, sustentabilidade e tantas outras coisas positivas têm em cada bife!


¹ IBGE – Estimativa da população residente nos municípios – julho/2018.


² Os dados de abate e da população foram obtidos no IBGE.


³ Não sei se esta é a melhor nomenclatura. Na minha opinião, não existe carne de segunda. Existe o modo certo de prepará-la. E, muitas vezes, elas são preparadas de forma inadequada.




O Encontro dos Encontros está chegando e acontece de 30/9 a 4/10 em Ribeirão Preto - SP. Todos os eventos – Encontro de Criadores, Adubação de Pastagens e Pecuária Leiteira – envolverão temas relevantes à pecuária sob a visão de grandes líderes do mercado. Para saber mais, acesse o site www.encontros.scotconsultoria.com.br ou ligue para (17) 3343-5111.


<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>

Buscar
Scot - Facebook Leite
 
Scot - Facebook Scot - Twitter Scot - Youtube Scot - Instagram Scot - Rss Scot - Linkedin

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos



TV Scot

Podcasts



Loja

Facebook





  • Copyright 2019, Scot Consultoria, Rua Coronel Conrado Caldeira, 578 • Bebedouro - SP - Brasil - 14701-000 | +55 17 3343 5111