• Quinta-feira, 20 de junho de 2024
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Adivinhar o futuro, um anseio humano


Segunda-feira, 29 de maio de 2023 - 06h00

Engenheiro agrônomo pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz – USP. Diretor-fundador da Scot Consultoria. Analista e consultor de mercado, com atuação nas áreas da cadeia de pecuária de corte, de leite, ovinos, grãos e insumos agropecuários. Palestrante, facilitador e moderador de eventos conectados ao agronegócio. Presidente da Associação dos Profissionais para a Pecuária Sustentável. Membro do Conselho Consultivo da Phibro, Membro do Conselho Técnico do programa Bifequali da Embrapa Sudeste e coordenador das ações gerais da Scot Consultoria.

Contrate uma palestra de Alcides Torres



Artigo originalmente publicado no Broadcast Agro, da Agência Estado, em 22/5/2023.


Com a tremenda retração da cotação da arroba do boi e com o outono anunciando o fim das chuvas, a queda da temperatura e a diminuição da luminosidade, aumenta a ansiedade com relação aos preços.


O outono é o anúncio da entressafra do capim quando não dá mais para segurar as boiadas nas pastagens, esperando por preços melhores, enquanto o boi engorda.


Preços melhores somente quando a oferta de boiadas diminuir e está acontecendo exatamente o contrário. Assistimos a uma desova de bois e, consequentemente, o preço bambeou.


Mas será assim o ano inteiro?


Provavelmente não. Com o fim da oferta do boi em pasto - o que deverá acontecer nas próximas semanas - o mercado reage. Mas de quanto será a reação?


Ninguém sabe, mas o preço está tão ruim, o mercado tão vendedor, que o quadro sugere que os preços, em relação ao mercado vigente, subirão. A cotação, no segundo semestre, na entressafra, deverá ser melhor que os preços nesses cinco meses de 2023.


Convém, no entanto, lembrar que estamos na fase de baixa do ciclo de preços pecuários, período em que aumenta a oferta de matrizes para abate e, consequentemente, o volume de bovinos, pressionando os preços. Portanto cotações exuberantes como as de 2020 até meados de 2022, não deverão acontecer.


Mas, como para cada ponto há um contraponto, o custo de produção caiu aliviando a pressão exercida pelos preços. A projeção, neste ano, é que o resultado da engorda de bovinos em confinamento seja positivo, revelando que nem sempre preço baixo é ruim e que nem sempre preço alto é bom.



<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja