• Quarta-feira, 29 de junho de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

A mentira patológica


Segunda-feira, 22 de junho de 2015 - 14h51

Problemas sociais - soluções liberais
Liberdade política e econômica. Democracia. Estado de direito. Estado mínimo. Máxima descentralização do poder.


Caracterizadas como patológicas, mentiras que atendem a vaidades pessoais são repetitivas e normalmente de fácil identificação. Em outras palavras, a mentira dura sempre pouco. O primeiro exemplo que me vem à cabeça é o já conhecido curriculum vitae da Presidente da República. Ela acrescenta um título de um doutorado jamais concluído.


Este introito serve, pelo menos parcialmente, às óbvias distorções encontradas nas contas públicas que a Presidente apresentou ao TCU. O que há de novo na rejeição das contas públicas pelo TCU foi ter tornado explícita a responsabilização da Presidente Dilma como primeira mandatária do país. A ex-guerrilheira, em segundo mandato, terá enormes dificuldades para explicar as "pedaladas" - como se convencionou chamar o artifício de empurrar despesas realizadas para exercício futuro.


Acho que Dilma ainda tem um importante papel na política brasileira: basta renunciar. Ela poderá, inclusive, enriquecer sua biografia explicando que fez isto pelo bem do Brasil, ainda que isto não seja compatível com um governo petista.

Por Arthur Chagas Diniz



<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>

Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook