• Segunda-feira, 22 de abril de 2024
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

O lucro é importante até para quem fala mal dele


Terça-feira, 4 de novembro de 2014 - 15h50

Problemas sociais - soluções liberais
Liberdade política e econômica. Democracia. Estado de direito. Estado mínimo. Máxima descentralização do poder.


O lucro fornece informações extremamente importantes para a sociedade. Ele nos diz onde devemos investir nossos recursos para gerar mais riqueza para a sociedade.


Já escutei, como você também já deve ter escutado, comentários sobre a ganância das empresas. A motivação do lucro, dizem, é um mal e faz com que as pessoas mais simples sejam enganadas. Estudos de referência revelam que as pessoas percebem que o lucro é associado negativamente ao valor social de determinadas empresas e até de setores inteiros (exemplo - o "mau" que representa o setor petrolífero). Não é surpresa, dado o modo como são retratadas as empresas na cultura popular, como em filmes do tipo "Uma Aventura LEGO" ou "O Lobo de Wall Street".


Minha primeira experiência com o lucro se deu quando comecei a trabalhar recém-saído da faculdade. Minha empresa pagava um bônus aos trabalhadores se conseguíssemos obter lucro. De repente, o lucro passou a ser maravilhoso! Desde então, aprendi que o lucro tem um papel incrivelmente importante no mundo e que o lucro da empresa não é um mal.


O lucro é simplesmente uma motivação e um incentivo. Todos nós precisamos de incentivos para garantirmos o melhor desempenho. Uma empresa que não gerencia seus custos, que não produz com eficiência, ou que produz uma coisa que ninguém quer comprar é punida por seu "mau" comportamento não obtendo lucro. Por outro lado, uma empresa que é capaz de descobrir o que as pessoas realmente querem e de fazer isso com eficiência, é recompensada obtendo um alto lucro. Se uma organização sem fins lucrativos é ineficiente, se tem por hábito o desperdício e oferece um serviço ruim, o que acontece? Quase sempre nada, porque falta nela o incentivo e a motivação para a eficiência. Vemos isso constantemente em queixas contra o desperdício e a ineficiência dos programas de governo.


O lucro fornece informações extremamente importantes para a sociedade. Ele nos diz onde devemos investir nossos recursos para gerar mais riqueza para a sociedade. Se as empresas petrolíferas obtêm enormes lucros, então faz sentido investir em mais poços e descobrir fontes alternativas de energia. Se as empresas petrolíferas estão perdendo dinheiro, vemos que não há por que perfurar mais poços. Sem a motivação do lucro, quem tomaria essas decisões pela sociedade? Devemos confiar em algum czar econômico indicado pelo governo para decidir o que precisamos ou, ao invés disso, preferimos votar com nosso dinheiro? Se o que uma organização está fazendo oferece alguma contribuição, ela lucrará e crescerá, de modo que possa fazer mais do mesmo. Se o que uma organização está fazendo não está oferecendo um produto ou serviço valioso, então ela não terá lucro e encolherá.


A visão de que o lucro é imoral está baseada na ideia de que quando uma companhia vende a você alguma coisa, eles estão lhe enganando fazendo você pagar mais do que deve pelo produto. Mas isso não é verdade! Se a troca ocorre com liberdade para ambos os lados, então os dois lados saem lucrando ao mesmo tempo. É por darmos valor às coisas de modo diferente que participamos de uma negociação. Eles vendem e você compra no preço combinado, já que você quer o artigo mais do que o dinheiro gasto com ele e eles dão mais valor ao dinheiro que vão receber do que o artigo que estão vendendo. Os lucros não representam uma riqueza tirada dos outros, mas significam valor agregado do qual tanto o comprador quanto o vendedor usufruem.


Adam Smith já observava, em 1776, que é uma vantagem podermos contar com a motivação do lucro para promover o interesse público porque a alternativa, a benevolência, quase sempre é escassa.


As drogas que salvam vidas, o automóvel, a Disneylândia, seu iPhone, tudo isso foi proporcionado a você, para seu deleite, como resultado da motivação das empresas: de fazer o que fazem para obter lucro. Graças a Deus existe o lucro.


Por Ligia Filgueiras


Fonte: Explore Freedom. Por Richard Parsons. 3 de novembro de 2014.



<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>

Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja