• Sexta-feira, 19 de julho de 2024
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Objetivos de curto prazo


Segunda-feira, 12 de abril de 2010 - 16h33

Administrador de empresas pela PUC - SP, com especialização em mercados futuros, mercado físico da soja, milho, boi gordo e café, mercado spot e futuro do dólar. Editor-chefe da Carta Pecuária e pecuarista.


Tirei uma semana de férias com a família, caro leitor. Se não levasse a esposa e a filha para viajar depois da minha aventura de moto pela Argentina e Chile minha mulher me matava, então aqui estou em Bombinhas escutando ao fundo o barulho do mar enquanto escrevo estas linhas após jantar uma bela lagosta grelhada na manteiga com molho de azeite ao alho da Casa da Lagosta. Essa semana a arroba do boi no mercado futuro caiu forte. Também, depois dos excelentes preços que estavam nas duas semanas anteriores tinha que dar uma realizada mesmo, era só uma questão de tempo até os que entram “na onda” final do movimento entrarem pelo cano. Daí temos essas quedas espetaculares. É por isso que disse duas semanas atrás que a forma mais barata de se aproveitar essa alta era comprando seguro de venda de boi na bolsa. Os frigoríficos também são leitores da Carta Pecuária. Alguns me escreveram reclamando que não comentei e não sugeri corretamente a alternativa de venda de boi a termo diretamente para eles para aproveitar essa recente alta da arroba. Bom, então digo aqui. É uma alternativa viável vender diretamente aos frigoríficos seus animais. Mas repito, sob o ponto de vista do produtor, não é a forma mais barata de se vender boi para a entressafra. Tudo tem seu preço, não é mesmo, caro leitor? Existem atualmente quatro opções de venda de bois — um é esperar para vender os animais somente lá na entressafra quando eles estiverem gordos; dois é vender contratos futuros na bolsa; três é vender boi a termo para os frigoríficos e quatro é comprar seguro de venda na bolsa. Cada uma das alternativas tem um custo, tem uma comissão, por assim dizer, que você paga. A compra de um seguro de venda de boi na bolsa é de longe a alternativa mais barata. Não desmerecendo as outras, obviamente, até porque elas têm as suas vantagens, mas o seguro de venda na bolsa é a minha preferida no momento. “Ah”, tem agora uma quinta opção de se negociar boi. É a negociação dos animais diretamente via internet na BBM — Bolsa Brasileira de Mercadorias. Provavelmente seu corretor da bolsa já está sabendo dessa modalidade. É uma coisa nova aqui no Brasil, é uma opção já conhecida no exterior. Vamos ver se vai “pegar”. Lembro-me do início da BBM. Sim, eu comprava CPR (Cédula de Produto Rural) de café para a corretora que trabalhava em São Paulo. A gente comprava muita CPR para um fundo de investimento. No início os negócios eram fechados diretamente com as agências, não existia ainda a BBM. Daí começou o sistema eletrônico e as coisas ficaram online. Edilson, acho que esse era o nome do diretor da BBM. Ele veio do Banco do Brasil. Me lembro de falar muito com ele no BB para resolver os pepinos das CPR de café na época de liquidação em bolsa. Ele continua como diretor na BBM? Não sei. Bom, vamos lá. Este gráfico nos diz bastante coisa. Novamente peço desculpas para o pessoal que acha que estou falando grego quando explico esses gráficos. Realmente é necessário um pouco de conhecimento da coisa. Mas, “ei”, nada que um cursozinho básico de análise gráfica não tire de letra. Até no You Tube já tem bastante coisa sobre gráficos, então é só correr atrás que “já já” você também saberá do que estou falando aqui. Acredite — fará um bem danado na sua comercialização de bois se você conseguir entender os gráficos do jeito certo. Bom, mas como ia dizendo, aqui anotei três coisas. A primeira são essas duas linhas em verde. Elas nos indicam a tendência de mercado. Atualmente estamos em alta, acho que isso está bem claro aqui. Sairemos da “alta” só se o mercado físico cair abaixo de 80 reais. Em segundo lugar temos um teste de resistência no mercado. Repare que os preços romperam para cima dos R$82,00/@... e nem deram tchau. “Ah”, mas agora parece que estão voltando para serem educados e dizerem propriamente adeus. Então R$82,00/@ é um teste importante. O mercado futuro está falando que o mercado físico deverá voltar para os R$82,00/@. De fato, isso pode mesmo acontecer. A terceira anotação tem a ver com essas linhas pontilhadas em cinza e vermelho, aparentemente espalhadas pelo gráfico. Na realidade, caro leitor, esse é um estudo de Fibonacci misturado com fractal, mas deixa essa parte técnica para lá. Aqui nos mostra que existe uma possibilidade de em um futuro próximo a arroba voltar a subir e testar R$84,00/@. Vamos ver como vai andar essa coisa. Então anote aí: para baixa temos dois objetivos de curto-prazo, R$82,00/@ e R$80,00/@. Para cima temos um objetivo, R$84,00/@. Lembre-se que isso é curto-prazo. Mas sinceramente não gosto muito de falar de curto-prazo, pois em um período tão pequeno de tempo as coisas são meio imprevisíveis. Mas fica aí a idéia de objetivos e fica o aviso de não levar essas previsões muito ao “pé-da-letra”. O importante disto aí é que se você tem posições em aberto no mercado futuro é hora de calibrar bem justo o limite de prejuízo, o famoso stop loss. Seu corretor sabe o que é isso, mas tem preguiça de te avisar que você pode deixar esse tipo de ordem com ele. Se essa correção vier mesmo, será um excelente teste para ver onde está a força deste mercado. Algo me diz que ainda não vimos toda a história dessa alta da arroba. Não agora, mas até o final do ano, vamos ver... Estou me referindo, obviamente, ao mercado interno e as exportações, mas sobre esse assunto comentarei com mais profundidade na Carta Pecuária de Longo-Prazo, disponível ainda esse mês para os clientes da Scot Consultoria.
<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja