• Sábado, 24 de julho de 2021
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Participação da família é a marca da pecuária gaúcha [Confina Brasil]


Quinta-feira, 24 de junho de 2021 - 16h45


A expedição Confina Brasil, que está no Rio Grande do Sul fazendo o mapeamento dos confinamentos de bovinos do país, destaca a intensa participação das famílias em várias propriedades gaúchas visitadas nesta semana. “É uma característica marcante. Seja a esposa ou os filhos, há sempre um envolvimento muito grande no negócio por vários motivos, incluindo equilíbrio dos custos e sucessão”, explica médico veterinário Felipe Dahas, coordenador do Confina Brasil. 


Essa é uma marca do Confinamento Santa Fé, de Dom Pedrito. O pecuarista Rodrigo Severo incentiva a participação da família, incluindo o filho de 14 anos, que já conhece muito do negócio e faz a sua parte com paixão. “Percebe-se que a família está integrada à atividade”, constata o médico veterinário e técnico do Confina Brasil, Olavo Bottino. 


Outra marca do Santa Fé é a tecnificação. Mas essa é uma característica cada vez mais presente na pecuária gaúcha e identificada nas visitas do Confina Brasil. É o caso, por exemplo, da Agroverde Agropecuária, também em Dom Pedrito, que faz contas na ponta do lápis e prefere deixar o confinamento vazio a arriscar ter prejuízo. Atuando na pecuária, mas também na agricultura (arroz e soja), a propriedade compra e vende o gado para reposição de acordo com o momento mais favorável do mercado. “Neste momento, por exemplo, o investimento ocorre na pecuária a pasto. O confinamento está vazio devido aos preços elevados dos terneiros de reposição”, informa Olavo Bottino.


A profissionalização é a marca da Arvoredo Agropecuária, de Francisco Repp, em Cachoeira do Sul. “O tino profissional, a gestão correta, o uso de tecnologias e o equilíbrio econômico e sustentável são faces visíveis do negócio”, explica Felipe Dahas, do Confina Brasil. “A visão do empresário é um diferencial importante. A questão ambiental é levada muito a sério, além da responsabilidade social, passando pela gestão da equipe. O resultado é colhido com alta produtividade”.



Leomar Serafini (Fazenda JR, de Cachoeira do Sul) é outro exemplo de profissionalismo na pecuária. Sua propriedade termina 4 mil animais por ano em dois ciclos com eficiência. Ele administra muito bem a aquisição de terneiros no mercado e integra a pecuária com a agricultura, de onde utilizar os grãos para alimentação e redução dos custos. “Está aí um bom exemplo de investimento com foco no resultado econômico”, diz o veterinário Bruno Alvim, também técnico do Confina Brasil.



Mapeamento do confinamento bovino no país – Em sua segunda edição, o Confina Brasil viajará por 11 estados, com a visita a 120 propriedades, e atualizará, de forma remota, os dados dos confinamentos visitados em 2020, totalizando a pesquisa em 14 estados. O estudo contemplará informações de propriedades responsáveis pela terminação de mais de 2 milhões de bovinos em confinamento.


Na, 6ª feira (25.06), o Confina Brasil visita propriedades Santiago e São Borja. Na 2ª feira (28.06), estará em Santa Bárbara do sul e Chapada e inicia a jornada em Santa Catarina (Ibicaré e Videira).


Confira o cronograma da 1ª Rota do Confina Brasil na região Sul:

• 25 de junho: Santiago e São Borja (RS) 
• 28 de junho: Ibicaré e Videira (SC)
• 28 de junho: Santa Bárbara do Sul e Chapada (RS)
• 29 de junho: Frederico Westphalen (RS)
• 29 de junho: Treze Tílias e Sul Brasil (SC)
• 30 de junho: Salto Veloso, Macieira, Jardinópolis (SC)
• 30 de junho, 1 e 2 de julho: Campo Erê (SC)
• 01 de julho: Palmas e Coronel Vivida (PR)
• 02 de julho: Coronel do Iguaçu, São João, Pato Branco (PR)
• 5 de julho: Esperança Nova, Cascavel (PR)
• 5 e 6 de julho: Umuarama (PR)
• 6 de julho: Santa Mônica, Santa Tereza do Oeste, Braganey (PR)
• 7 de julho: Loanda, Marilena, Terra Rica, Boa Ventura de São Roque, Luiziana (PR)
• 8 de julho: Mandaguari, Barbosa Ferraz (PR)
• 8 e 9 de julho: Paranavai (PR)





O Confina Brasil, expedição que promove o levantamento de dados da pecuária intensiva, já está na estrada. A meta em 2021 é mapear 40% do gado confinado no país. Siga o @confinabrasil no Instagram e acesse confinabrasil.com para acompanhar a expedição.


<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>