• Quinta-feira, 11 de agosto de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Commodities Agrícolas


Terça-feira, 31 de maio de 2011 - 16h09

Mercado sustentado A lentidão nos trabalhos de semeadura de soja nos EUA segue a oferecer sustentação às cotações da soja nos mercados internacional e doméstico, destaca análise divulgada ontem pelo Cepea/Esalq. O órgão informou que, no Brasil, os produtores voltaram a focar a comercialização do grão para pronta-entrega, sendo que, na semana passada, “os agentes estavam apenas cumprindo contratos realizados no ano passado para entrega em abril e maio”. Realçou, ainda, que especulações de que a China poderá ampliar a demanda por soja brasileira colaboram para manter o mercado doméstico aquecido. Ontem, o indicador Cepea/Esalq/BM&FBovespa para a saca de 60 quilos negociada em Paranaguá (PR) subiu 0,84%, para R$49. Não houve negócios na bolsa de Chicago em razão de um feriado. Mercado parado O mercado paulista de laranja segue à espera do posicionamento das grandes indústrias de suco quanto aos valores dos novos contratos de fornecimento que serão praticados na safra atual, cuja colheita começa a ganhar fôlego. Segundo levantamento do Cepea/Esalq junto a agentes do segmento, praticamente nenhum novo contrato foi reportado e a preocupação entre citricultores é crescente. Em média, na safra passada os novos contratos firmados pelas indústrias com seus fornecedores ficaram em torno de R$15 - mesmo valor praticado no mercado spot de São Paulo por boa parte da já encerrada temporada industrial 2010/11. Ontem, a bolsa de Nova York, que abriga o mais importante mercado futuro de suco do mundo, permaneceu fechada. Queda menor Os preços médios nacionais do etanol registraram nova queda na quarta semana de maio, apontou levantamento divulgado pela Agência Nacional de Petróleo (ANP). Entre os dias 22 e 28, informou o órgão, preço médio de revenda do etanol hidratado no país caiu 4,58%, para R$1,981 o litro. Apesar de ter confirmado a tendência de baixa, a redução foi inferior à ocorrida na terceira semana do mês, quando a retração em relação à semana anterior foi de 6,65%. Na cidade de São Paulo, sempre de acordo com a ANP, a queda dos preços médios de revenda foi de 4%. O levantamento, realizado em mais de 8 mil postos revendedores de combustíveis do Brasil, também verificou que os preços da gasolina seguem em curva descendente com colaboração da baixa do etanol anidro. Pressão do comprador A arroba do boi gordo caiu para R$97,50 (a prazo) no interior de São Paulo ontem, segundo levantamento da Scot Consultoria. O mercado havia fechado a semana a R$98. Conforme a consultoria, muitos frigoríficos estão sem comprar, mas em São Paulo as escalas de abates de animais seguem curtas, atendendo a apenas três dias na maior parte dos casos. Relatório da Scot, da última sexta-feira, indicava que os frigoríficos buscavam derrubar os preços da matéria-prima. Como mostram os números, parecem ter tido algum sucesso neste início de semana de poucos negócios no mercado. A expectativa é de melhora na venda de carne bovina nos próximos dias, segundo analistas da Scot, pois varejistas devem fazer estoques para o mês que começa. Fonte: Valor Econômico. Agronegócios. 31 de maio de 2011.
<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook