• Quarta-feira, 10 de agosto de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Indústria paga R$0,58 por litro ao produtor de leite, queda de 22%


Sexta-feira, 5 de dezembro de 2008 - 13h08

Levantamento do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea - Esalq/USP) mostra que o preço pago ao produtor de leite já acumula queda de 22,2% nos últimos seis meses. A desvalorização inaugurada antes mesmo do período de entressafra (junho/julho) culminou em apenas R$0,58 o litro em novembro - redução de pouco mais de 2 centavos sobre a média do mês anterior. No referente período do ano anterior registrava-se alta de 16,9%, com a média de R$0,69 o litro registrada em novembro. Essa atual seqüência de baixas e a já depreciada relação de troca de leite por insumos desistimulou a produção da bebida no segundo semestre (período em que o setor registra alta considerável de produtividade). De acordo com o Índice de Captação de Leite do Cepea (ICAP-L), de maio até outubro, o volume recebido pelos laticínios e também pelas cooperativas aumentou apenas 5,3%, ante os 36,2% registrados em 2007. De setembro a outubro, a ampliação foi de 1,36%. De acordo com o Cepea, em novembro, as quedas mais expressivas foram registradas em Goiás, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais - entre 6% e 8%. O preço médio pago em Mato Grosso do Sul foi R$0,4513. Gustavo Beduschi, pesquisador do Cepea, prevê “uma estabilidade para o pagamento de dezembro referente a novembro”. Segundo ele, a oferta estaria começando a reagir, porém não o suficiente para superar a demanda e influenciar em uma possível queda de preços. “O sul já mostrou sinais de uma estabilidade maior, lá podemos falar em reajuste”. Nos últimos dois meses a captação de leite foi menor - setembro registrou baixa de 1,13% e outubro 2,87%, quando comparados aos volumes dos referentes meses de 2007. O gerente de pecuária do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Octávio Costa de Oliveira em setembro do ano passado foram captados 1,519 bilhão de litros. No mês seguinte esse volume subiu para 1,591 bilhão. “Desde março deste ano é registrada queda na captação, a partir de maio ela fica mais sensível apesar da flutuada a tendência continua sendo de retração”. De acordo com levantamento da Scot Consultoria, nos últimos dois meses, o aumento no preço do leite longa vida para o consumidor foi de 7,6%. Em relação a novembro de 2007, o reajuste foi de 14,6%. Em relação ao mesmo período do ano passado, quase todos os lácteos estão mais caros nas prateleiras dos supermercados. A única exceção seria o leite em pó, cujas cotações estão, em média, 10% mais baixas. Fonte: Gazeta Mercantil. Agronegócio. Por Gilmara Botelho. 5 de dezembro de 2008.
<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook