• Sábado, 25 de junho de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Preços do leite e do queijo caem em plena entressafra


Sexta-feira, 9 de julho de 2010 - 09h48

Apesar de produtor receber menos, desvalorização não chega aos consumidores Dia 10 de julho é o dia da pizza. O Brasil ganhou fama ao redor do mundo pela qualidade deste prato que cai bem em muitas ocasiões. Um ingrediente essencial na fabricação é o queijo que, assim como a maioria dos derivados do leite, registrou queda de preço em plena entressafra. Mesmo assim, segundo os analistas, a data não vai ser comemorada com pizzas mais baratas. A queda foi generalizada. Começou com o leite e chegou nos derivados. De acordo com a Scot Consultoria, nos últimos dois meses, o longa vida desvalorizou 18% no atacado e no varejo. Pouco tempo depois, o preço dos queijos também começou a cair. O mussarela, o mais consumido, ficou 6% mais barato só no mercado atacadista. As reduções surpreendem porque o período é de entressafra. O analista de mercado de leite da Bigma, Maurício Nogueira, explica que o aumento que era pra ocorrer agora foi antecipado e a queda de preços que viria só depois, também veio antes da hora. – Houve notícia de que as cooperativas se uniriam. A indústria comprou antes, se posicionou, formou estoque, agora o mercado não está dando vazão a estes estoques. Então os preços caem. Primeiro foi o longa vida, depois os queijos, iogurtes e etc. Enquanto o produto está mais barato, o produtor de leite está recebendo menos. O diretor da Associação Brasileira das Indústrias de Queijo (Abiq), Cícero Hegg, diz que as empresas já estão pagando menos pela matéria-prima. Com ou sem variações de mercado, a indústria de queijo tem crescido em média 5% ao ano e movimentado mais de R$7 bilhões. O Brasil produz 900 mil toneladas. E este mesmo produto é um dos principais ingredientes da pizza, perdendo apenas para a farinha que vai na massa. A importância do queijo é ainda maior já quando se trata de São Paulo. A cidade tem seis mil pizzarias, que produzem 43 milhões de pizzas por mês. Para isso, precisam usar quase 13 mil toneladas de queijo! No entanto, de acordo com os proprietários de pizzarias, o preço não mudou. O diretor de Pizza do Sindicato de Bares e Restaurantes de São Paulo, Ronaldo Ayres, confirma: – Isso é normal. Essa redução nunca chega aos estabelecimentos. Pelo contrário, às vezes aumenta pra eles, quando diminui pra indústria. Sendo assim, a pizza mais barata vai ficar só na vontade. E quem sente isso é o bolso do consumidor: – Adoro pizza. Como, pelo menos, duas vezes por semana. Mas realmente o preço é meio salgado, poderia ser menor – queixa-se a publicitária paulistana Daniela Marchesi. Fonte: Canal Rural. Por Mariane de Luca. 9 de julho de 2010.
<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook