• Sábado, 25 de junho de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Pecuarista deve buscar proteção para garantir preços do boi gordo


Quarta-feira, 21 de maio de 2008 - 17h15

Segundo analista da Scot Consultoria, atual escalada é normal O boi gordo segue acumulando altas de preços. Nos contratos com vencimento em outubro na Bolsa de Mercadorias e Futuros, a arroba começou a semana passada custando R$89 e terminou em R$94. A alta nos últimos sete dias já é de 6,1%. Nos últimos 30 dias contados até a última segunda-feira, dia 19, o aumento acumulado já é de 11,4%. Na avaliação de Maurício Nogueira, da Scot Consultoria, as altas de preços são normais, já que o setor de pecuária se recupera de uma crise ocorrida anos atrás. Em entrevista ao Agribusiness Online, nesta quarta-feira, dia 21, é um momento bom para o pecuarista. - Esse preço já está favorecendo a venda para outubro. Já é uma hora de fazer hedge (mecanismo de fixação e garantia de preços). A gente esperava essa alta. Houve abates de vacas nos últimos anos e uma hora os preços se recuperariam. Quem enfrenta dificuldades para garantir a rentabilidade nos negócios são os frigoríficos. Maurício Nogueira explicou que as empresas têm de lidar com a escassez de matéria-prima ao mesmo tempo em que devem administrar o repasse das altas de preços para os consumidores. Com isso, as margens ficam reduzidas. Pecuária na Amazônia Maurício Nogueira disse concordar com o ministro de Assuntos Estratégicos, Mangabeira Unger, responsável pelo Plano Amazônia Sustentável, que defendeu a intensificação da atividade pecuária em áreas já desmatadas da Amazônia. Na opinião do analista da Scot Consultoria, o Brasil tem capacidade e tecnologia suficientes para criar gado sem ocupar grandes áreas. - O caminho é intensificar. Não tem mais cabimento fazer uma pecuária do século 19 se a gente tem tecnologia. O analista da Scot Consultoria afirmou ainda que a intensificação é o melhor apelo ecológico que a agropecuária pode fazer. Segundo Mauricio Nogueira, se o setor tivesse continuado a trabalhar com índices de produtividade de 40 ou 50 anos atrás, todas as florestas do país já teriam sido derrubadas. Ele ressaltou que a alta dos insumos pode influir na rentabilidade da atividade pecuária, mas não inviabiliza a intensificação. - A margem é menor. Aí ele vai ter de correr atrás de maior escala de produção, de mais intensificação. Ele não foge do uso de insumos, da alta dos grãos e dos insumos. Ele tem de usar, por isso os preços estão tão altos. Fonte: Canal Rural. Pecuária. 21 de maio de 2008.
<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook