• Terça-feira, 28 de junho de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Carta Boi - Exportação de carne bovina aumentou em dezembro, mas não foi para a China


Quinta-feira, 13 de janeiro de 2022 - 10h00

Foto: Scot Consultoria


Em 2021 as expectativas para as exportações brasileiras de carne bovina eram otimistas, devido a importação chinesa.


Até setembro o volume embarcado esteve firme e em patamares elevados, porém com a confirmação dos dois casos atípicos de “vaca louca” e à suspensão da exportação a partir de setembro de 2021, o desempenho caiu. De setembro a outubro a exportação caiu 56%, saindo de 187,0 mil para 82,2 mil toneladas de carne bovina in natura.


Em dezembro o cenário foi de indústrias ativas e ávidas por boiadas, com o anúncio da retomada da exportação para a China (figura 1).


Figura 1. Exportações brasileiras de carne bovina fresca, refrigerada ou congelada, por mês, ao longo de 2021, em mil toneladas.


Fonte: MDIC / Elaboração: Scot Consultoria


No entanto, o desempenho em dezembro não foi suficiente para compensar as perdas advindas da suspensão e, no acumulado de 2021, o volume exportado foi de 1,56 milhão de toneladas de carne bovina in natura, resultado 9,5% menor que em 2020.


Apesar da queda em volume, o faturamento de US$7,97 bilhões superou em 7% o faturamento de 2020, cuja cifra foi de US$7,45 bilhões.


Relação por países

Sendo a China a principal importadora de carne bovina brasileira a suspensão foi sentida. O volume destinado aos chineses até setembro correspondia a 56% do volume da carne bovina in natura embarcada pelo Brasil.


Apesar do anúncio da retomada em dezembro, o incremento não foi significativo e o desempenho do mês foi motivado por outros parceiros comerciais (figura 2).


Figura 2. Participação da China nas exportações brasileiras de carne bovina in natura, por mês, ao longo de 2021, em mil toneladas.


Fonte: MDIC / Elaboração: Scot Consultoria


Em 2021, com relação ao faturamento, destacam-se a China (49%), Hong Kong (7,4%), Chile (7,1%), Estados Unidos (5,8%) e Egito (3,4%).


Mas, especificamente em dezembro, o volume da exportação brasileira foi principalmente para os Estados Unidos e Egito (figura 3).


Figura 3. Volume, em mil toneladas, de carne bovina in natura exportada em dezembro/21 para Estados Unidos, Egito, Chile, Hong Kong e China.


Fonte: MDIC / Elaboração: Scot Consultoria


Em relação a novembro, o Egito aumentou em 331% o volume importado, saindo de 4,1 mil toneladas para 17,7 mil toneladas em dezembro. Já para os Estados Unidos, o incremento foi de 94%, saindo de 12,9 mil toneladas em novembro para 25,1 mil toneladas em dezembro.


2022

Para este ano, a expectativa é que a participação brasileira nas importações chinesas de carne continue. Mantida a política cambial, a exportação de carne deve apresentar bom desempenho em 2022.


Bibliografia consultada 

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior – MDIC


Scot Consultoria - www.scotconsultoria.com.br



<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>

Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook