• Sexta-feira, 24 de setembro de 2021
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Carta Conjuntura - Biodiesel: do B13 para o B10


Sexta-feira, 14 de maio de 2021 - 11h00


Introdução


Em 9 de abril, em nota conjunta dos Ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e de Minas e Energia (MME), foi oficializada a redução da mistura de biodiesel no diesel mineral, de 13% para 10%, medida válida até o fim do primeiro semestre deste ano.


Embora o MME não tenha se manifestado sobre os motivos, a suspensão ocorreu após o preço do biodiesel chegar a R$ 7,50 por litro na primeira etapa do L79 (79o. Leilão de Biodiesel).


Veja na figura 1 a evolução dos preços médios do óleo diesel ao consumidor, na Região Sudeste, de janeiro de 2020 a abril de 2021. 


Figura 1. Evolução dos preços médios do óleo diesel ao consumidor (R$/litro), na Região Sudeste, de janeiro de 2020 a maio de 2021.



*até dia 11/5.
Fonte: ANP, elaborado pela Scot Consultoria.


No primeiro trimestre de 2021 foram produzidos cerca de 2 milhões m³ de biodiesel, volume semelhante ao mesmo período de 2020. Dentre as opções para a composição do biocombustível, o óleo de soja representou 70,5% e o sebo bovino 9,6% (ANP).


O preço de ambas as matérias-primas subiu. A cotação da soja subiu fortemente nos últimos meses, puxada principalmente pela desvalorização do real e pela forte exportação para a China.


A cotação do sebo bovino também vem mostrando força desde o segundo semestre de 2020. Esse fato está associado ao ciclo pecuário de preços (retenção de fêmeas), resultando na menor oferta de bovinos.


De acordo com dados da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove) e da Scot Consultoria, de janeiro a março, os preços do óleo de soja e do sebo bovino em São Paulo subiram 30,9% e 30,6%, cotados em R$5,9 mil/t e R$5,6 mil/t, respectivamente, livres de impostos (figura 2).


Figura 2. Evolução dos preços do óleo de soja e do sebo bovino em São Paulo, em mil R$/t, de janeiro/20 a março/21.



Fonte: Abiove e Scot Consultoria.


Sebo bovino x óleo de soja

Os preços firmes da soja (e dos coprodutos, farelo e óleo de soja) aumentaram a procura pelo sebo bovino para produção de biodiesel. Apesar disso, por causa da baixa oferta de sebo, não houve aumento da participação da gordura animal na produção de biodiesel (março de 2021).


Rendimentos

Em média, o rendimento do óleo de soja para a produção de biodiesel é equivalente a 96%, ou seja, com 1 litro de óleo de soja se produz 0,96 litro de biodiesel. O rendimento médio do sebo bovino é de 93%.


Considerando o preço médio mensal do sebo e do óleo de soja em dez anos (2011 a 2020) e o rendimento de cada matéria-prima na produção do biocombustível, o óleo de soja custa mais que o sebo para a produção de biodiesel (figura 3), mesmo com rendimento maior (96%).


A grande disponibilidade do óleo de soja é uma das causas da maior participação na produção de biodiesel, em relação ao sebo.


Figura 3. Preços do óleo de soja e do sebo bovino em São Paulo (eixo da esquerda), médias mensais dos últimos de 10 anos, em R$ por quilo, sem o frete, valores corrigidos pelo IGP-DI, considerando o rendimento médio de cada matéria-prima na produção de biodiesel, e a diferença entre as cotações dos produtos (eixo da direita).



Fonte: Scot Consultoria.


Impactos

A oferta restrita e a valorização de preços de ambas as matérias-primas no mercado interno resultaram em um aumento expressivo das importações, pelo setor de biodiesel.


De janeiro a abril de 2021 foram importadas 80,48 mil toneladas de sebo bovino e 35,39 mil toneladas de óleo de soja, volumes 322,7% e 75,2% maiores em relação ao mesmo período de 2020. Veja na figura 4, os volumes importados de óleo de soja e sebo bovino no primeiro quadrimestre de 2019, 2020 e 2021. 


Até abril de 2021, 58,5% das importações de óleo de soja vieram da Argentina, e 46,2% das importações de sebo bovino do Paraguai. 


Figura 4. Importações de sebo bovino e óleo de soja, no primeiro quadrimestre de 2019, 2020 e 2021, em mil toneladas.



Fonte: Comex, elaborado pela Scot Consultoria.


Expectativas

A alteração feita pelo governo foi para ajustar os preços nas bombas de combustíveis. 


Mesmo com a oficialização da redução do B13 para o B10, a cotação do óleo de soja deverá continuar elevada, o que deve manter a procura por sebo bovino pelo segmento de biodiesel, mantendo firme a concorrência com as indústrias de higiene e limpeza.


Outros produtos vêm ganhando espaço no mercado de biocombustíveis. Um exemplo é o óleo de palma/dendê, que em 2017 respondia por 0,15% de participação na produção de biodiesel e atualmente representa 2,9%. 


Bibliografia consultada


Abiove - Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais;


ANP - Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis;


Banco de dados da Scot Consultoria;


Comex – Comércio Exterior;


MAPA – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento;


MME – Ministério de Minas e Energia.




Dia 25 de novembro acontecerá o Encontro de Analistas da Scot Consultoria, um evento em que grandes especialistas discutirão as principais tendências econômicas e seus reflexos no mercado do boi gordo. Entre em contato conosco pelo WhatsApp 17 98171 2100 e aproveite as condições de pré-lançamento. Vagas limitadas.


<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>

Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook