• Sexta-feira, 5 de março de 2021
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Parasitoses de bovinos e o mercado de antiparasitários


Segunda-feira, 18 de janeiro de 2021 - 10h00

Médico veterinário, mestre e doutor em zootecnia pela UNESP de Jaboticabal e analista de mercado da Scot Consultoria


Foto: Pexels


Uma das causas de prejuízos aos produtores de bovinos são as infestações de parasitas.


Parasitas são seres que vivem em função de outros, relação da qual o parasita se beneficia, normalmente adquirindo seu alimento na dependência do hospedeiro que é prejudicado. Devido à essa relação, há quedas no desempenho animal.


Além da perda na performance, outro fator somado aos prejuízos é a aquisição de antiparasitários.


Os parasitas podem ser classificados como: endoparasitas, os quais a fase parasitária ocorre majoritariamente dentro de um hospedeiro; ou ectoparasitas, os quais a fase parasitária é realizada principalmente fora do hospedeiro.


Perda econômica e do desempenho animal devido às parasitoses

Os principais endoparasitas que levam os produtores ao prejuízo são verminoses gastrointestinais, que somam aproximadamente 7,11 bilhões de dólares anuais1 em perdas no Brasil.


Esses parasitas se alojam ao longo do trato gastrointestinal evoluindo comumente para um caso crônico, com sintomas que variam de acordo com a espécie predominante do verme, idade e condições nutricionais do animal. Altas infestações de vermes podem levar à perda de apetite, diarreia, perda de peso, pelos secos e arrepiados, edema submandibular e mucosas anêmicas.


Por outro lado, os ectoparasitas que mais causam perdas econômicas são os carrapatos, moscas e larvas, que representam prejuízo de 6,86 bilhões de dólares anuais1.


Eles provocam irritabilidade e incômodo, seja através de picadas (como carrapatos e moscas) ou pelo seu alojamento na pele dos bovinos (no caso de larvas). Isso gera estresse, que se reflete em uma piora no bem-estar e no desempenho animal.


Além disso, carrapatos e moscas podem gerar coceiras nos animais e até lesões cutâneas, com perda de coprodutos como o couro. Alguns se alimentam de sangue e podem levar o bovino a um quadro de anemia. Outros podem atuar como vetores de enfermidades, como no caso da babesiose e anaplasmose (tristeza parasitária bovina). 


Tabela 1. Principais parasitas bovinos e prejuízos anuais.


Nome científico Categoria Prejuízo anual ($)
Haemonchus spp. Endoparasita 7,11 bilhões
Trichostrongylus spp. Endoparasita
Ostertagia spp. Endoparasita
Cooperia spp. Endoparasita
Oseophagostomum radiatum Endoparasita
Trichuris sp. Endoparasita
Nematodirus spp. Endoparasita
Strongyloides spp. Endoparasita
Rhipicephalus (Boophilus) microplus / Carrapato bovino Ectoparasitas 3,24 bilhões
Haematobia irritans / Mosca-dos-chifres Ectoparasitas 2,56 bilhões
Dermatobia hominis / Berne Ectoparasitas 0,38 bilhões
Cochliomyia hominivorax / Mosca-da-bicheira Ectoparasitas 0,34 bilhões
Stomoxys calcitrans / Mosca-dos-estábulos Ectoparasitas

Fonte: Adaptado de Grisi et al. (2014) Elaboração: Scot Consultoria


Portanto, as perdas econômicas devido às principais parasitoses bovinas giram em torno de 14 bilhões de dólares a cada ano, sendo que 51% desse prejuízo é causado por endoparasitas.


Em relação ao impacto no desempenho animal, as perdas causadas por moscas podem levar a 20% de redução no ganho de peso em gados de corte, sem considerar os custos adicionais com produtos antiparasitários. Considerando a produção leiteira, a redução de leite pode chegar a 60%.


Mercado de antiparasitários

De acordo com o Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (Sindan), de 2009 a 2019 o faturamento líquido de antiparasitários no Brasil foi crescente, atingindo cerca de 1,8 bilhão de reais em 2019.


Considerando todos os produtos voltados para a saúde animal, mais da metade do faturamento é voltado para os ruminantes e os antiparasitários têm representado mais de um quarto do faturamento, no mesmo período.


Figura 1. Faturamento líquido de antiparasitários (em R$ bilhões).



Fonte: Sindan / Elaboração: Scot Consultoria.


Projeta-se que o faturamento de antiparasitários tenha crescido consideravelmente em 2020, uma vez que, somente a venda de ivermectina (8,6 milhões de caixas) no mês de junho de 2020, foi superior ao total de vendas do ano todo de 2019 (8,2 milhões de caixas). Dados obtidos pelo Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos (Sindusfarma) e Conselho Federal de Farmácia (CFF).  


A ivermectina, que é usualmente receitada para o tratamento e controle de parasitas internos e externos, passou a ser utilizada no combate a covid-19 em humanos, mesmo sem ter sua eficácia comprovada nesse tipo de tratamento ou prevenção.


Consideração final

As parasitoses, sejam elas causadas por endo ou ectoparasitas, causam consideráveis prejuízos financeiros e à saúde animal, sendo necessárias estratégias para o controle e prevenção para se evitar estas perdas.


É importante ressaltar que o uso indiscriminado leva à seleção de parasitas resistentes e redução da vida útil dos medicamentos. O tratamento inadequado também é fonte de evasão de capital.


Em 2020, o mercado de antiparasitários, que já vinha em expansão até 2019, deverá manter esse ritmo.


Bibliografia


AZEVEDO, D.M.M.R.; ALVES, A.A.; SALES, R. de O. Principais ecto e endoparasitas que acometem bovinos leiteiros no Brasil: uma revisão. Revista Brasileira de Higiene Sanitária Animal, v.2, n.4, p.43-55, 2008.


CANÇADO, P.H.D.; CATTO, J.B.; SOARES, C.O.; MIRANDA, P. de A.B.; VALENTIM, T.F.; PIRANDA, E.M. Controle parasitário de bovinos de corte em sistemas de integração. Embrapa Gado de Corte-Capítulo em livro científico (ALICE), 2019.


1. GRISI, L.; LEITE, R.C.; MARTINS, J.R. de S; ANDREOTTI, R.; CANÇADO, P.H.D.; DE LÉON, A.A.P.; PEREIRA, J.B.; VILELLA, H.S. Reassessment of the potential economic impact of cattle parasites in Brazil. Revista Brasileira de Parasitologia Veterinária, v.23, n.2, p.150-156, 2014.


Sindan - Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal. Disponível em: http://www.sindan.org.br/mercado-brasil/. Acesso em: 7 de janeiro de 2021.



<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>