• Segunda-feira, 14 de outubro de 2019
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Governo quer que carne bovina do Brasil contribua para aumento do comércio com a Indonésia


Segunda-feira, 25 de outubro de 2010 - 09h58

Quarto país mais populoso do mundo, com 230 milhões de habitantes, e a décima oitava economia mundial, a Indonésia recebeu esta semana a missão comercial brasileira formada por representantes do governo e de indústrias brasileiras. O secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e chefe da delegação, Ivan Ramalho, tratou do tema durante a abertura oficial do evento, em Jacarta, capital do país. Também participaram o embaixador do Brasil na Indonésia, Manuel Innocencio, o vice-ministro de Indústria da Indonésia, Alex Retraubum, e o diretor geral de Comércio do país, Gusmardi Bustami. Os representantes do governo indonésio convidaram o Brasil a investir no país, destacando a proximidade física com grandes economias, o grande mercado consumidor interno, um dos maiores do mundo, e o crescimento contínuo nos últimos anos. A Indonésia apresenta, desde 2004, crescimento real superior a 5% ao ano. Para Ivan Ramalho, as oportunidades de crescimento no comércio e nos investimentos mútuos são grandes, uma vez que os dois países possuem grandes oportunidades a serem exploradas. “Nem mesmo a distância tem sido empecilho porque a corrente de comércio entre os dois países aumentou 35% este ano, em relação a 2009”, destacou. No período entre janeiro e setembro, esse intercâmbio comercial foi de US$ 2 bilhões, mas o Brasil teve déficit de US$ 126 milhões nessa relação comercial. As exportações para a Indonésia foram de US$ 963 milhões, aumento de 18,4%, mas as importações cresceram muito mais. Chegaram a US$ 1 bilhão, um aumento de 53,4%. Carne Para reverter esse quadro, o Brasil investe em ações de incentivo às exportações para o país, como a missão comercial realizada esta semana, além de incentivar a diversificação da pauta exportadora. Mas em alguns casos, a abertura do mercado exige negociações técnicas para modificar ou derrubar barreiras técnicas e sanitárias, como no caso da exportação de carne bovina brasileira. A Indonésia não compra carne brasileira sob a alegação de que o país não é área segura contra a febre aftosa. O tema tratado pelo secretário-executivo do MDIC e o embaixador Manuel Innocenio, durante entrevista coletiva concedida à imprensa local após a abertura oficial da missão no país. Segundo o embaixador, é preciso que a Indonésia reconheça legalmente, por meio de emenda constitucional, o princípio da regionalização, preconizado pela Organização Mundial da Saúde Animal. Ele explica que os casos registrados da doença no Brasil são em áreas que não exportam o produto e, por isso, não oferecem risco. Para ele, a situação toda chega a ser irônica porque a Indonésia é grande comprador de carne da Austrália e este país é um grande importador de carne brasileira. “O consumidor indonésio seria o grande beneficiado porque a carne bovina na Indonésia chega a custar três vezes mais que na Malásia, país vizinho’”, destaca. Fonte: MDIC. 22 de outubro de 2010.
<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>

Buscar
Scot - Facebook Leite
 
Scot - Facebook Scot - Twitter Scot - Youtube Scot - Instagram Scot - Rss Scot - Linkedin

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos



TV Scot

Podcasts



Loja

Facebook





  • Copyright 2019, Scot Consultoria, Rua Coronel Conrado Caldeira, 578 • Bebedouro - SP - Brasil - 14701-000 | +55