• Sexta-feira, 24 de setembro de 2021
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Embrapa propõe redução de 50,0% do consumo de água na suinocultura


Quinta-feira, 28 de abril de 2016 - 05h20

A redução do uso de água é o novo alvo na busca por eficiência nas granjas produtoras de suínos, uma vez que o correto gerenciamento dos recursos hídricos tem relação direta com o custo de tratamento e distribuição dos dejetos.


A Embrapa-SC e o Sindicarne desenvolveram o projeto Gestão da Água na Suinocultura Catarinense, que visa reduzir o uso de água em 50,0% nas instalações rurais. Conforme a pesquisa feita em conjunto, os suinocultores mais econômicos de Santa Catarina usam 4,50 litros de água diariamente para cada animal, enquanto outros chegam a 11,00 litros.


A disparidade está ligada ao manejo e aos equipamentos, de acordo com o Dr. Paulo Armando de Oliveira, coordenador do projeto e pesquisador da Embrapa Suínos e Aves. O objetivo é chegar à média diária de 8,50 litros de água gastos por animal em todas as granjas de suínos do estado por meio de material informativo e capacitação de técnicos e produtores.


Medidas Econômicas


Nos bebedouros é possível fazer uma economia de 50,0% simplesmente regulando a vazão e a pressão da água. Enquanto é recomendada uma vazão de 0,50 a 1,00 litro de água por minuto na produção de leitões, “o que observamos é uma vazão de 2,00 a 2,50 litros por minuto, o que acarreta excesso de água nos bebedouros. Como os animais não consomem toda a água disponível, há um desperdício de 1,00 a 1,50 litro de água por leitão”, comenta Paulo Armando.


Na limpeza das edificações, em que a recomendação é de meio litro de água por dia para cada suíno, a economia torna mais eficiente o transporte dos dejetos, pois reduz o seu volume final após o tratamento. O custo para a distribuição do Fertilizante Líquido de Suínos, que são os dejetos após o tratamento, é de R$4,00 a R$6,00 por metro cúbico distribuído. Quanto menos água, menor será a despesa com transporte e distribuição nas lavouras ou pastagens e menor será o consumo elétrico das bombas de recalque, que são acionadas conforme o consumo hídrico.


A pesquisa reúne informação e gera conhecimento para que seja possível prever a quantidade necessária de água para cada tipo de sistema de produção e para cada etapa produtiva da suinocultura. A união deste conhecimento com ferramentas de automação, conceito da Zootecnia de precisão, permitirá o "acompanhamento e gerenciamento on-line e a distância das granjas. Com a possibilidade de sabermos em tempo real o consumo de água em cada fase produtiva da produção animal", comenta Paulo.


Fonte: Suinocultura Industrial. 27 de abril de 2016.




Dia 25 de novembro acontecerá o Encontro de Analistas da Scot Consultoria, um evento em que grandes especialistas discutirão as principais tendências econômicas e seus reflexos no mercado do boi gordo. Entre em contato conosco pelo WhatsApp 17 98171 2100 e aproveite as condições de pré-lançamento. Vagas limitadas.


<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>

Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook