• Segunda-feira, 15 de julho de 2024
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Matone recompra lojas do banco vendido a grupo JBS


Terça-feira, 27 de dezembro de 2011 - 09h27

O Banco do Estado do Rio Grande do Sul (Banrisul) e a família gaúcha Matone anunciaram ontem a aquisição, por R$90 milhões, do controle da Bem-Vindo Promotora de Vendas e Serviços, especializada na distribuição de crédito consignado com 73 lojas no país. A operação inclui também o cadastro de 428 mil clientes, a estrutura de telemarketing, o sistema de cobrança e cerca de 500 funcionários. Com isso, parte do antigo banco Matone - instituição que estava com deficiência de capital e que foi adquirida em agosto pelo Original, do grupo JBS - voltará às mãos da família Matone, que terá 50,1% da Bem-Vindo, um negócio que faz a distribuição de créditos, mas não o financiamento deles. Os recursos para a geração dos empréstimos virão do Banrisul. O aporte da família Matone para a aquisição da Bem-Vindo será feito por meio da holding MatoneInvest, que reúne os investimentos do empresário Alberto Matone, ex-dono da instituição incorporada pelo Original. Além disso, o banco Original, que tinha comprado uma instituição cujo principal negócio era o crédito consignado, voltará a se focar nos empréstimos para o setor de agronegócios. A operação, financiada pelo Fundo Garantidor de Créditos, contou com um aporte de R$1,8 bilhão. O banco controlado pelo governo do Estado ficará com 49,9% da empresa, mas fará um desembolso inicial de apenas R$40 milhões. Cerca de outros R$5 milhões ainda serão pagos conforme o desempenho da Bem-Vindo. Com a aquisição da rede de lojas, o objetivo do Banrisul é dobrar até o início de 2013 a originação atual de R$150 milhões por mês em consignados próprios, com aumento das margens de rentabilidade, informou o presidente do banco estatal, Túlio Zamin. Já a Bem-Vindo será remunerada mediante comissão sobre as vendas. No fim de setembro a carteira de empréstimos com desconto em folha do Banrisul somava R$6,1 bilhões. Deste total, R$2,3 bilhões haviam sido adquiridos de outras instituições, incluído R$1,1 bilhão do próprio banco Matone antes da venda para o JBS. O Original tem um estoque de R$1,5 bilhão em empréstimos consignados, incluindo os já cedidos ao Banrisul, que também avalia a aquisição dos R$400 milhões restantes. Conforme o presidente do Original, Emerson Loureiro, a Bem-Vindo chegou a produzir R$190 milhões mensais em créditos consignados antes da aquisição do Matone. Hoje o volume é de R$80 milhões por mês, mas a capacidade de originação da rede, que tem como clientes aposentados do INSS e servidores públicos, alcança R$350 milhões mensais, informou o executivo. Segundo ele, o banco decidiu vender a empresa para se focar no financiamento à pecuária e à agricultura. Zamin espera concluir a aquisição na segunda quinzena de janeiro, após as auditorias contábeis e legais. Os sócios terão gestão compartilhada sobre a rede, que por ter maioria de capital privado não ficará submetida à lei das licitações, válida para o setor público. Conforme o presidente do banco, isso dará mais agilidade para a expansão da empresa. Segundo Zamin, a rede não se limitará a vender empréstimos consignados e dentro de seis meses poderá passar a oferecer outros produtos do banco, incluindo abertura de contas e saques em terminais de autoatendimento. De acordo com Zamin, a Bem-Vindo não vai competir com a rede própria do Banrisul, mas será complementar à estratégia de expansão do banco, que hoje concentra no Rio Grande do Sul 400 de suas 440 agências e pretende abrir mais 45 unidades no Estado e cinco em Santa Catarina em 2012. Já a nova coligada tem 44 lojas na região Sudeste, 13 no Nordeste, sete no Norte, cinco no Sul e quatro no Centro-Oeste do país. Fonte: Valor Econômico. Por Sérgio Ruck Bueno. 27 de dezembro de 2011.
<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja