• Terça-feira, 16 de agosto de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Área com florestas plantadas cresce 23% no ano de 2012 em Mato Grosso do Sul


Segunda-feira, 4 de março de 2013 - 16h26

De acordo com Junior Ramires, presidente da Associação dos Produtores e Consumidores de Florestas Plantadas (Reflore), o Mato Grosso do Sul tem sido um dos destaques nacionais no setor de silvicultura, sobretudo pelo aumento de 23% na área plantada registrado ano passado, quando o plantio de eucalipto saiu de 500 mil para 612 mil hectares.


Ramires ressaltou que a atividade florestal tem contribuído para a melhoria do meio ambiente, principalmente pelo fato de todo o plantio de eucalipto está sendo feito em áreas degradadas. Este crescimento representou o investimento de R$600,00 milhões para o setor.


A divulgação ocorreu durante o lançamento do 3º Congresso Florestal do estado, o MS Florestal, na sede da Federação de Agricultura e Pecuária (Famasul), em Campo Grande. O evento vai acontecer na cidade de Bonito - MS entre os dias 9 e 11 de abril.


Na avaliação de Junior Ramires, muito ainda será feito em todas as cadeias produtivas que envolvem a silvicultura. "Toda a área plantada com eucalipto corresponde apenas 1,7% do território do nosso estado, mas é preciso melhorar em infraestrutura, permitindo um melhor escoamento da produção", acrescenta Ramires, que descartou a volta dos incentivos fiscais para o setor, afirmando que o pleito do empresariado é por uma desoneração na carga tributária.


Dos 612 mil hectares de área plantada, 68% estão ligadas às empresas que fazem parte da Reflore-MS, que são: Amata Brasil, Santa Mônica Reflorestamentos, Tramasul, Ramires Reflorestamentos, Niobe, Eldorado Brasil, Fibria, Corus Agroflorestal, Brasilwood, Cautex Florestal, Vetorial e Grupo Mutum. Para Junior Ramires, até 2020 será possível chegar a um milhão de hectares plantados, principalmente se a questão logística e a desoneração na carga tributária acompanharem a lógica mercadológica de desenvolvimento no estado.


Para Ramires, "Hoje já somos um dos grandes players do país no setor. Um exemplo disso, é que Três Lagoas, onde estão instaladas duas grandes indústrias que utilizam florestas plantadas já está sendo conhecida como a capital mundial da celulose. As plantas em operação no município devem atingir em 2013 a capacidade instalada de produção de 2,8 milhões de toneladas".


Sem superar esses gargalos, o presidente da Reflore - MS diz que o setor corre o risco de estagnação e perda de competitividade. "Isso ocorre justamente em um momento em que o segmento está próximo de atingir o equilíbrio entre a oferta de matéria-prima e a demanda das indústrias. Se superarmos esses entraves e mantivermos o atual ritmo de crescimento em 2020, dez anos antes do previsto pelo Plano Estadual, já poderemos atingir a meta de 1 milhão de hectares cultivados com florestas plantadas", comenta.


Justamente para discutir este momento do setor em Mato Grosso do Sul e a conjuntura nacional e internacional, ele explica que a Reflore - MS promove entre os dias 9 e 11 de abril o MS Florestal, que terá como tema neste ano a competitividade de toda a cadeia produtiva. Para o evento, o presidente da entidade aponta que já estão confirmadas a apresentação de 15 palestras e a participação de 20 expositores em uma mostra de produtos e serviços.


Fonte: Agrodebate. Pela Redação. 1 de março de 2013.



<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>

Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook