• Sexta-feira, 1 de julho de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Mercado travado


Sexta-feira, 20 de janeiro de 2012 - 10h31

Frigoríficos pressionam cotação, mas pecuarista resiste A demanda por carne bovina no varejo segue contida e as indústrias maiores mantém uma programação confortável para os abates, por isso continuam pressionando a cotação da arroba no mercado do boi gordo. Segundo a Scot Consultoria, são muitas as tentativas de compra abaixo do preço referência. Contudo, os pecuaristas que dispõem de bom pasto para o gado preferem engordar o animal para conseguir preços melhores a partir de fevereiro, quando deve a demanda deve crescer. Para Henrique Iglesas, da consultoria Safras e Mercados, o maior problema para a cadeia bovina é a oferta excessiva de carne de frango no mercado. “Estão vendendo por preços abaixo do valor de custo”, diz o analista. A desvalorização do preço da proteína afeta diretamente a cotação das carnes bovina e suína. Iglesias afirma ainda que o preço do boi gordo deve continuar firme. “A partir de fevereiro, aumenta a demanda e os preços podem sofrer novos reajustes”, diz. No mercado físico, o indicador boi gordo da Esalq encerra a semana com a cotação da arroba em R$98,77 à vista, reajuste de 0,35% e R$99,49 a prazo, queda de 0,11%. No mercado futuro, os contratos com vencimento em 31 de janeiro encerraram a sexta-feira,20, cotados a R$ 98,28, recuo de 0,19% na comparação com o pregão anterior. Fonte: DBO. Por Mônica Costa. 20 de janeiro de 2012.
<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook