• Segunda-feira, 15 de agosto de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Margem da indústria frigorífica foi ainda mais negativa em 2011


Quinta-feira, 5 de janeiro de 2012 - 09h36

A indústria frigorífica brasileira, que já havia registrado margem média negativa em 2010, encerrou o ano de 2011 com números piores, segundo a Scot Consultoria. Levantamento mostra que o Equivalente Físico - que determina a receita do frigorífico com a venda de 15 quilos de carcaça (arroba), ponderando a participação de peças da carne como o traseiro, o dianteiro e a ponta de agulha - ficou, em média, em R$94,52 no ano passado. O resultado mostra uma defasagem de 7% em relação ao valor pago pela arroba. Em 2010, esse porcentual era de 5%. “Ou seja, a indústria encontrou dificuldade em repassar os preços ao consumidor”, afirmou o zootecnista e consultor da Scot, Alex Santos Lopes da Silva. Entretanto, segundo ele, nos últimos dias de 2011, com a desvalorização da arroba do boi gordo, a pressão sobre a margem da indústria ficou menor. Segundo ele, a reação permitiu que a indústria recebesse pela venda de carne sem osso mais subprodutos preços até 30% maiores que o valor desembolsado na compra da arroba. Fonte: Agência Estado. 5 de janeiro de 2011.
<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook