• Sábado, 13 de agosto de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Após queda de 19%, preço do suíno ensaia recuperação


Quinta-feira, 10 de março de 2011 - 17h44

Após um começo de ano de expressivas quedas nos preços dos suínos, a expectativa do setor, a partir deste mês, é de recuperação. Em fevereiro, os preços da arroba do suíno caíram mais de 19% ante a média registrada em janeiro deste ano e 5,12% se comparado a fevereiro do ano passado. Já as exportações da carne cresceram 7,62% em volume na comparação com fevereiro de 2010, passando a 39 mil toneladas colocadas no mercado exterior. A carne suína, que enfrentou nesses dois primeiros meses do ano baixas substanciais no preço da arroba, pode reverter esse quadro a partir deste mês. A média da arroba em janeiro ficou em R$54, o que representa uma alta de aproximadamente 15% ante janeiro de 2010. Já em fevereiro deste ano, as quedas chegaram a mais de R$10 por arroba em relação a janeiro, fechando a R$43,7 em média, contra os R$46,06 em 2010. “Em janeiro, o movimento para as carnes é menor por conta das férias escolares. Já em fevereiro os preços deveriam aumentar, pois o movimento de exportação começa a ser retomado. O consumo interno também deve aumentar com a passagem do carnaval. Assim, a partir de março devemos voltar à normalidade”, afirmou Alex Lopes, analista de mercado da Scot Consultoria. Para ele, os preços das carnes bovinas e de frango irão sustentar as altas da carne suína a partir deste mês. “Acredito que com isso os preços devam subir a partir deste mês e isso acontecerá com todas as proteínas. Mas para a carne suína, pela queda expressiva de preços, a tendência é de abertura de espaço para altas, sustentadas pela alta da carne bovina”, disse Lopes. Esta expectativa de alta para os preços dos suínos também é ressaltada por Pedro de Camargo Neto, presidente da Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne suína, (Abipecs). “Vimos uma queda exagerada nos preços nesse começo de ano, mesmo porque não tinha motivo para cair desse jeito, esperamos que os preços já se recuperem nesse mês de março, trazendo ao suinocultor a rentabilidade perdida, tanto pela baixa dos preços, quanto pela alta do farelo de soja e do milho”, garantiu. Segundo o analista da Scot Consultoria, em março a média dos preços não devem ficar abaixo dos R$43 por arroba, e também não irão ultrapassar a casa dos R$54, como visto em janeiro. “Com certeza ficaremos com uma média superior a R$43 a arroba. Agora voltar ao patamar médio de R$54 em apenas um mês é bem difícil, pois recuperar quase R$10 de diferença é pouco provável”, finalizou. As exportações de carne suína cresceram 7,62% em volume, passando de 36.294 de fevereiro do ano passado para 39.060 toneladas do mês passado. No entanto, no acumulado do ano, as vendas externas apresentaram queda de 1,97% fechando com 73.869 toneladas, frente as 75.356 toneladas em período equivalente do ano passado. “Os volumes exportados nesse começo de ano estão bem próximos aos do ano passado. Em janeiro exportamos pouco, mas em fevereiro já recuperamos”, disse Pedro de Camargo Segundo ele, a expectativa do setor continua voltada ao continente asiático, principalmente com negociações com China, Coreia do Sul e Japão. Dentre os três países citados, somente a Coreia já está com o processo de negociação mais avançado. “O processo com a Coreia que estava indo bem, mas o Ministério da Agricultura está atrasando em responder as questões levantadas pelo país. Eles tiveram focos de aftosa e estão importando mais carne suína, inclusive tiraram o importo de importação. Se eles estão facilitando as importações, estão interessados em comprar, inclusive do Brasil, caberia ao Ministério ser mais rápido para que não perdermos a oportunidade.” Fonte: DCI. Agronegócios. Por Daniel Popov. 10 de março de 2011.
<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook