• Segunda-feira, 8 de agosto de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Preço do leite ao produtor sobe quase 3% mesmo na safra


Segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011 - 16h11

Em mais um movimento atípico de mercado, o preço médio do leite pago aos produtores do país subiu quase 3% em fevereiro na comparação com janeiro deste ano. De acordo com levantamento da Scot Consultoria, a cotação média neste mês - paga pelo leite entregue em janeiro - foi de R$0,742 por litro. No mês anterior, havia sido de R$0,721 por litro. Na comparação com o mesmo período de 2010, o aumento, considerando valores nominais, é de 17,6%. Na região Nordeste, que está em plena safra, os preços ao produtor recuaram, mas nos Estados do Centro-Sul houve valorização. Rafael Ribeiro, analista da Scot, disse que a falta de chuvas em algumas regiões de produção afetou a oferta de leite. Além disso, a elevação dos custos de produção - em função da alta do milho e do farelo de soja, principalmente -, também desestimula o investimento na alimentação das vacas. O resultado é uma produção menor de leite. O índice Scot para pecuária de leite, que mede a variação do custo de produção da atividade, subiu 44,6% desde maio de 2010. Laércio Barbosa, diretor da Laticínios Jussara, avalia que a demanda forte e a concorrência por leite pelas indústrias explica o aumento dos preços ao produtor. “A safra foi um pouco mais curta porque a chuva atrasou. Por isso não houve formação de estoques e as empresas entraram o ano mais agressivas no mercado”, comentou Barbosa. Os meses de dezembro e janeiro são o pico da safra de leite. Fevereiro ainda é safra, mas a produção já começa a se reduzir. Por isso, Ribeiro acredita que a tendência é que os preços fiquem entre estáveis e firmes nos próximos pagamentos das indústrias aos produtores. Ele também vê demanda aquecida, mas espera variações positivas pequenas para os preços da matéria-prima a partir de agora. “Os preços não caíram na safra (...) e o cenário aponta para preços mais altos”, acrescentou Laércio Barbosa. Com a alta em plena safra, a preocupação é se haverá queda na entressafra, disse. A razão é que as cotações firmes agora podem estimular a produção de leite, ampliando a oferta. O mercado de leite longa vida também está refletindo a alta da matéria-prima. Segundo Barbosa, da Jussara, entre janeiro e fevereiro os preços no atacado subiram entre 3% e 5%, com negócios de R$1,65 a R$1,70 por litro no mercado de São Paulo. Como a produção começa a diminuir este mês e a demanda deve seguir aquecida, a expectativa é de que o mercado de longa vida continue em alta, conforme o diretor da Jussara. Ele prevê aumento na casa dos 15%. No que diz respeito aos preços aos produtores de leite, Rafael Ribeiro acredita que os patamares serão mais altos que no ano passado por conta de custos mais elevados de produção e da demanda. Fonte: Valor Econômico. Agronegócios. Por Alda Do Amaral Rocha. 28 de fevereiro de 2011.
<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook