• Terça-feira, 16 de agosto de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Mercado do boi gordo deve se recuperar


Quarta-feira, 20 de maio de 2009 - 14h12

As exportações brasileiras de carne bovina tiveram um aumento de 50% no período de janeiro a abril deste ano, mesmo com toda a crise da indústria frigorífica. A tendência é de que, no segundo semestre, os preços do boi gordo voltem a se recuperar e as dificuldades diminuam. Este posicionamento foi defendido por especialistas ontem durante o 2º Seminário Estadual de Pecuária de Corte, realizado pela Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), dentro da Programação da 64ª Exposição Agropecuária. De acordo com o engenheiro agrônomo da Scot Consultoria, Alcides Torres Junior, se não ocorrerem outras quebras de frigoríficos e falências de mais bancos americanos, a tendência do mercado será de franca recuperação. Mas ele alerta que, no segundo semestre, quando o gado de confinamento estiver pronto para o abate, os produtores devem ter cautela para não fazer com que os preços da arroba caiam. Para Torres, a atual crise da indústria frigorífica fará com que a maneira de comercializar gado nos próximos anos mude drasticamente. “Nunca houve tanta quebra de frigoríficos ao mesmo tempo. Isso fez com que o produtor fosse duramente prejudicado e o está instigando a mudar a forma com que negocia o seu produto”, analisa. Ele enfatizou a necessidade dessas indústrias voltarem a abater para que o mercado não sofra com monopólios nos próximos anos. Torres acredita que a recuperação judicial ainda é muito melhor do que a concordata, pois permite, até mesmo, que dívidas de investimento sejam negociadas pela indústria ao longo do tempo. “A situação do produtor é grave, mas se essas indústrias quebrarem, daqui a cinco anos teremos um mercado altamente concentrado.” Fonte: O Popular. 20 de maio de 2009.
<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook