• Sábado, 2 de julho de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Brasil Foods avalia oferta na Argentina, afirma site


Sábado, 4 de julho de 2009 - 10h25

Companhia estaria interessada em gigante do setor lácteo La Serenísima Argentinos especulam sobre intenções da Danone e da empresa originada da fusão entre Perdigão e Sadia; BRF nega estar na negociação A BRF (Brasil Foods), empresa criada a partir da fusão entre Perdigão e Sadia, está no páreo pela compra da maior indústria argentina de lácteos, a La Serenísima, relatou ontem o site “Lechería Latina”. A assessoria de comunicação da BRF, no entanto, disse que não há nenhuma negociação. Segundo as versões que circulam na Argentina, a Perdigão já vinha mantendo, antes da fusão com a Sadia, conversas com o grupo Mastellone, dono da Serenísima. A BRF teria herdado as negociações. A oferta brasileira não contemplaria o desembolso de dinheiro. Em troca do controle da indústria láctea, a BRF assumiria dívidas de US$250 milhões da Serenísima, e o grupo Mastellone manteria participação minoritária na empresa, fundada há 80 anos. O grupo Mastellone anunciou a venda da Serenísima no mês passado. A Danone largou na frente na disputa pela maior empresa láctea argentina. A multinacional europeia mantém joint venture com a Serenísima desde 1996. A subsidiária brasileira da empresa francesa não comentou o assunto. Em comunicado, o grupo Mastellone confirmou as negociações com a Danone. Disse ter “vinculação comercial e estratégica muito estreita” com a companhia da França. As duas empresas compartilham a logística de abastecimento de leite cru e a distribuição de vários produtos. Em 2008, a Danone emprestou US$8,4 milhões à Serenísima para o pagamento de dívidas. Para o analista Rafael Ribeiro de Lima Filho, da Scot Consultoria, adquirir a Serenísima pode ajudar a BRF a compor seu “mix” industrial no Brasil. A Perdigão fechou 2008 em segundo lugar na captação de leite no país, com 1,67 bilhão de litros, atrás apenas da Nestlé, que obteve 1,9 bilhão de litros. Com vendas de R$1,7 bilhão em 2008, a Serenísima tem cerca de 70% do mercado de leite da região de Buenos Aires, que reúne 30% da população argentina. Seu valor de mercado é estimado em US$800 milhões. A empresa teve resultados negativos nos últimos três anos - em 2008, o prejuízo chegou a R$179 milhões. O controle de preços imposto pelo governo é apontado como um dos maiores problemas da companhia. Especula-se na Argentina que o governo poderia financiar a compra da Serenísima por um grupo nacional. Na campanha eleitoral encerrada no domingo, o ex-presidente e deputado eleito Néstor Kirchner disse a Pascual Mastellone, presidente da empresa, que poderia “contar absolutamente” com o governo. Fonte: Folha de São Paulo. Dinheiro. Por Thiago Guimarães e Gitânio Fortes. 4 de julho de 2009.
<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook