• Quarta-feira, 10 de agosto de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Preço da carne de traseiro é o maior dos últimos doze anos em São Paulo


Terça-feira, 6 de janeiro de 2009 - 11h55

O ano começou com as cotações da arroba do boi e da carne no atacado em alta, com tendência de preços firmes nos próximos dias. Ontem, em São Paulo, a arroba foi avaliada em R$87,00 - reação de 9% desde o dia 18 de dezembro, quando o boi valia R$80,00/arroba na mesma praça. Quanto à carne no atacado, o traseiro de bovino alcançou a cotação mais alta dos últimos 12 anos, chegando aos R$7,70/quilo ontem, também no mercado paulista e considerando a cotação nominal (sem inflação). De acordo com Gabriela Tonini, consultora da Scot Consultoria, os preços devem se manter firmes e com tendência de alta em 2009. “Este ano deverá ser muito parecido com o ano passado, marcado pela escassez de oferta de animais. Está ocorrendo retenção de matrizes mas ainda insuficiente para a retomada de volumes de oferta”, avalia. O cenário é esperado mesmo sem conhecer ainda os efeitos da crise global sobre a demanda. Quanto à reação das cotações no final de dezembro e neste início de ano, é resultado da demanda aquecida por conta das festas e da oferta escassa de animais nos primeiros dias de janeiro, respectivamente. Nesta época, muitos pecuaristas estão fora do mercado; há poucos negociantes. “Embora estejam em alta, os preços da arroba e da carne devem desacelerar um pouco a partir de meados de janeiro. Esse movimento é comum em todos os meses do ano e se intensifica em janeiro, pois a população tem volume de gastos maior neste mês, com impostos, por exemplo, e consome menos”, comenta Gabriela. Exportações As vendas externas brasileiras de carne bovina in natura somaram pouco mais de US$4 bilhões no ano de 2008. Somente em dezembro, as exportações chegaram à receita de US$214,5 milhões (61,6 mil toneladas), conforme dados preliminares da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), divulgados em relatório de análise da Brascan Corretora. O faturamento do setor com as exportações caiu em dezembro na comparação com o mês imediatamente anterior. Segundo dados da Abiec (entidade que reúne os frigoríficos exportadores), em novembro de 2008 a receita de in natura com o mercado externo somou US$ 225,9 milhões (56,6 mil toneladas). A queda de preços explica a retração em receita, segundo análise da corretora. Fonte: DCI. Agronegócios. Por Érica Polo. 6 de janeiro de 2009.
<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook