• Quinta-feira, 30 de junho de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Ociosidade dos frigoríficos em 2009 continuará em 40%


Quarta-feira, 3 de dezembro de 2008 - 12h10

Em 2009, no melhor dos cenários, os frigoríficos brasileiros devem manter o mesmo nível de ociosidade que registraram em 2008. Projeção da Scot Consultoria indica que a disponibilidade de cabeças para abate no ano que vem deve ser entre 42 milhões e 43 milhões de cabeças, o que significará repetir a ociosidade de 40% diante de uma capacidade de abate instalada de 70 milhões de cabeças por ano. Neste ano, a projeção é de que serão abatidas 43,205 milhões de animais. “Pelo menos, a disponibilidade de bovinos vai parar de recuar em 2009. Esse cenário pode mudar, somente se a crise for muito forte e afetar o consumo mundial de carne e depreciar os preços. Aí, o pecuarista vai parar de investir e a recuperação da oferta de gado, que deveria iniciar em 2009, será postergada”, avalia Fabiano Tito Rosa, analista da Scot Consultoria. No próximo ano, o Brasil, possivelmente não conseguirá oferta suficiente de gado para atender o mercado europeu nos níveis de 2007. Apesar do crescimento das propriedades certificadas para exportar ao bloco, será difícil atingir as 2 mil a 2,5 mil fazendas projetadas como suficientes. De acordo com o secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Inácio Kroetz, há 608 propriedades certificadas para exportar carne bovina in natura para União Européia em sete estados - Espírito Santo, Goiás, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais e Mato Grosso. Em 2007 eram cerca de 10 mil propriedades. “A expectativa é até o final desta semana este número cresça para 633 fazendas”, afirma. De acordo com ele, por semana, o Mapa envia de 30 a 40 fazendas para os órgãos europeus para aprovação. Fonte: Gazeta Mercantil. Agronegócio. 1 de dezembro de 2008.
<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook