• Quarta-feira, 29 de junho de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Cotação do leite reage pela primeira vez no Sul após meses de baixas


Segunda-feira, 1 de dezembro de 2008 - 14h43

O preço do leite pago ao produtor reagiu pela primeira vez em novembro nos estados do Paraná e Santa Catarina, após longo período de baixas nas cotações. O produtor paranaense recebeu neste mês R$0,595 por litro, em média, referente ao produto entregue em outubro; enquanto os catarinenses obtiveram R$0,518 por litro no mesmo período - reação de 2% na comparação com o mês anterior, em ambos os estados. Na média do País, porém, a cotação do leite segue o ritmo de baixas constantes. Nos últimos cinco meses a queda acumulada é de 20,2%. O litro alcançou média de R$0,59 em novembro, segundo levantamento divulgado na última sexta-feira pela Scot Consultoria. A média nacional ponderada sofre influência de baixas das praças de Minas Gerais, São Paulo e Goiás, importantes regiões produtoras. Em Minas e Goiás, a retração no período acumulado é de 23%, enquanto em São Paulo chega a 16,2%. “A reação de preços no Sul ainda é pequena ao olhar para o histórico dos meses anteriores, quando as cotações no Paraná tinham caído 22,6% até o mês anterior e, Santa Catarina, registrava baixas de 25,6%”, acrescenta Cristiane de Paula Turco, consultora da Scot. “No entanto, agora a tendência é de reação de preços na Região Sul nos próximos meses”. Segundo a especialista, a alta se deveu à redução da produção local a partir de outubro. Diferentemente de outras regiões produtoras, o ciclo produtivo no Sul e no Nordeste ocorre em épocas distintas ao de outras regiões do País. Geografia do leite A Região Sul vem se consolidando como importante pólo produtivo desde a década anterior, embora Minas Gerais ainda mantenha a liderança. O segundo e terceiro colocados são Paraná e Rio Grande do Sul. Dos 26,5 bilhões de litros produzidos em 2007 no País, segundo dados fornecidos pela Embrapa Gado de Leite, os mineiros foram responsáveis pela produção de 7,3 bilhões de litros; o Paraná contabilizou 2,9 bilhões de litros; e o Rio Grande do Sul somou 2,7 bilhões de litros. O movimento de indústrias investindo explica o fortalecimento da atividade na região. Um exemplo é o da gaúcha Bom Gosto, que anunciou fusão com a Líder Alimentos recentemente. Embora em tempos de crise, investimentos de no mínimo R$ 56 milhões serão feitos pelas companhias em 2009. A fatia do Sul na produção brasileira de leite cresceu de 22,9% em 1996 para 27,7% em 2006, segundo a Scot. Enquanto na Região Sudeste, a participação caiu de 45% para 38,3%. Fonte: DCI. Agronegócios. Por Érica Polo. 1 de dezembro de 2008.
<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook