• Segunda-feira, 15 de agosto de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Padronização de carcaça bovina

Entrevista com o diretor de originação e eficiência da Minerva Foods, Fabiano Ribeiro Tito Rosa

Segunda-feira, 11 de abril de 2022 - 12h00
-A +A

Fabiano é zootecnista formado pela Universidade Estadual Paulista e mestre em Engenharia de Produção, com especialização em gestão de sistemas agroindustriais pela Universidade Federal de São Carlos, atualmente é diretor de originação e eficiência da Minerva Foods.

Foto: Evanto


Scot Consultoria: Quais são os pontos mais importantes para que o pecuarista consiga uma melhor padronização de carcaça em conjunto com maior produtividade e qualidade?

Fabiano Tito Rosa: Existem muitos fatores que influenciam. Além do sexo, raça, pH e idade, há também o bem-estar proporcionado aos animais ao longo de sua vida. As melhores práticas de manejo, nutrição e saúde animal são determinantes para a qualidade do produto.

Um animal jovem, de até 4 dentes, bem-acabado e com pH igual ou menor que 5,8 também fornece uma carne mais macia e suculenta. Esses padrões, por exemplo, são os que fomentamos no nosso Programa de Eficiência de Carcaça (PEC), que auxilia os pecuaristas a produzirem com eficiência e qualidade, garantindo constância de oferta, precocidade, acabamento de gordura, carcaça uniforme, bom peso de abate, padronização e pH da carne.

Em paralelo, sob o aspecto do bem-estar animal, é muito importante que o gado tenha acesso à nutrição e hidratação adequada; instalações confortáveis e com sombra (conforto térmico); livre de lesões; e sendo poupado de estresse durante o manejo e transporte. Um gado produzido com esses cuidados, desde o pasto até a indústria, certamente vai entregar uma carne de alta qualidade ao consumidor final.

Scot Consultoria: Tomando o cenário atual do mercado pecuário, a expectativa para 2022 é de superar a quantidade de gado avaliado pelo programa em 2021?

Fabiano Tito Rosa: O último ano contabilizou números muito expressivos, com a participação de 545 pecuaristas e mais de 239 mil animais avaliados. Do total, 73,9% das carcaças das fêmeas pesaram acima de 210kg, 80,7% dos machos pesaram entre 255 e 360kg, 81,4% dos animais eram jovens (até quatro dentes), exigência cada vez maior do mercado internacional, e 90,3% dos animais apresentaram pH adequado (igual ou menor que 5,8).

Nossa expectativa para este ano é contar com a participação de 800 pecuaristas e alcançar a margem de 300 mil cabeças avaliadas. Para isso, vamos intensificar as ações com os participantes, promovendo ainda mais visitas em campo e acompanhamento mais próximo aos produtores.

Em 2022, podem participar os parceiros da Minerva Foods que abatem nas unidades de Araguaína/TO, Janaúba/MG, José Bonifácio/SP, Mirassol D’Oeste/MT e Palmeiras de Goiás/GO. As inscrições estão abertas até agosto, período paralelo às avaliações dos animais. Para participar, os interessados devem preencher o formulário de inscrição por meio do site: https://www.minervafoods.com/pec.

Scot Consultoria: Com o produto brasileiro bem demandado e a oferta de animais mais jovens ainda mais comedida, você acredita que o programa dará o suporte necessário para que a pecuária nacional esteja apta a atender cada vez mais mercados futuramente?

Fabiano Tito Rosa: Esse é também um dos objetivos do programa, apoiar uma cadeia cada vez mais tecnificada e sustentável, apta a atender cada vez mais mercados internacionais que buscam por esses critérios. Para atender essa demanda, precisamos de animais de boa genética, jovens, bem manejados, bem terminados e que sejam criados em ambientes que zelem pelo seu bem-estar e pela preservação do meio ambiente.

Neste sentido, o PEC se consolidou como uma iniciativa efetiva aos produtores, que tem gerado ótimos resultados. Ano após ano, os participantes têm sido auxiliados a produzir com mais eficiência e qualidade, levando em conta esse conjunto de melhores práticas na criação, que permitem o acesso a mercados cada vez mais valorizados.

Com o programa, estamos contribuindo para que a pecuária brasileira atinja um novo patamar, ainda mais elevado, de eficiência produtiva. Por meio da disseminação de boas práticas, a integração de criadores e o apoio aos pecuaristas, o PEC contribui ainda com o aumento de qualidade nos indicadores de produção.

Scot Consultoria: Existe um plano de ação de melhorias quando os produtores inscritos no PEC não atingem as metas? Se sim, quais?

Fabiano Tito Rosa: Como parte do programa, nossas equipes realizam diversas visitas às fazendas dos participantes com orientações e acompanhamento, além de promoverem encontros online, onde apresentam as informações de abate e discussões relacionadas a aspectos de nutrição, manejo e sanidade dos animais.

Além disso, a organização do programa inovou ao criar o PEC TV, um canal no Youtube que conta com uma grade de conteúdos audiovisuais dedicada aos pecuaristas de todo o Brasil. A partir dessa agenda de aproximação e relacionamento, trabalhamos intensamente para que todos os participantes atinjam as metas estabelecidas pelo PEC e atuem sob a premissa de produzir cada vez mais e melhor.

Scot Consultoria: Tendo em vista que, ainda que em bons patamares, as carcaças dos bovinos abatidos no Brasil possuem uma margem para ganhos em peso, rendimento e acabamento, de que forma o programa traz, além da padronização, um incentivo para que esses ganhos sejam inseridos no sistema?

Fabiano Tito Rosa: Primeiro, por meio de feedback. Os participantes do programa recebem um romaneio exclusivo, com a avaliação dos lotes, pontuação no PEC e colocação, podendo realizar uma avaliação dos animais que estão entregando. Também utilizamos os eventos como plataforma de incentivo, bem como o conteúdo do PEC TV ou visitas direcionadas. Em todas as nossas comunicações, os pecuaristas recebem orientações técnicas para melhorar produtividade e qualidade, e, assim, alcançar melhores resultados. Vale destacar também que, ao final do programa, os melhores lotes são premiados e recebem um reconhecimento público, servindo de benchmark para os demais.

Por fim, falando de incentivo, a qualidade de fato ganhou relevância, ou seja, o boi deixou de valer apenas o quanto pesa. O PEC não é um programa de premiação, mas as avaliações realizadas no programa servem de orientação para calibrar nossos modelos de precificação e de premiação, trazendo, ao final, mais retorno para quem entrega um produto melhor.

Scot Consultoria: Mesmo com produtos de alto padrão, problemas sanitários tornam-se fortes barreiras comerciais quando não são bem orientados. De que forma o programa tem atuado para que o desempenho produtivo e o planejamento sanitário caminhem juntos e o enfoque não se dê somente em nutrição e genética?

Fabiano Tito Rosa: A possibilidade de dar um feedback para o pecuarista sobre como os cuidados dentro da porteira estão se refletindo na indústria é um dos diferenciais do PEC. O tradicional conceito do tripé (Nutrição – Sanidade – Genética) já está desatualizado e o conceito mais atual é o das novas conexões entre Diagnóstico – Sanidade – Nutrição – Genética – Reprodução – Gestão. Os seis pilares de sustentação da pecuária brasileira conectados para produzir o boi do futuro. Todos os parâmetros são importantes e estão diretamente conectados. As empresas envolvidas no PEC preconizam isso e oferecem todo entendimento para que os pecuaristas inscritos no programa possam usufruir disso em suas propriedades.


<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook