• Segunda-feira, 11 de novembro de 2019
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

A evolução da agricultura com o plantio direto


Sexta-feira, 2 de novembro de 2018 - 10h00

Foto: ruralpecuária.com.br


O plantio direto é uma tecnologia muito utilizada atualmente no campo, que viabiliza o plantio em meio a palhada da cultura anterior, sem o revolvimento do solo com aragem ou gradagem. Com a implantação do sistema, o produtor consegue ter um bom manejo e conservação do solo, evitando erosões e tendo bom aproveitamento da matéria orgânica.


O professor da Unesp de Botucatu de mecanização agrícola, Paulo Arbex, engenheiro agrônomo formado pela FCA Unesp Botucatu, com mestrado e doutorado em energia na agricultura pela mesma instituição, conversou um pouco sobre o tema com a Scot Consultoria e passou algumas dicas e cuidados aos produtores.


Confira a entrevista abaixo:


Scot Consultoria: Quais as principais vantagens para utilização do sistema de plantio direto?


Paulo Arbex: As principais vantagens são:


- Aumento da matéria orgânica do solo;


- Redução da desagregação do solo e diminuição da erosão;


- Rotação de culturas com diminuição de pressão de pragas e doenças.


Scot Consultoria: Podemos dizer que a agricultura brasileira evolui graças a utilização do plantio direto? Qual o maior desafio da indústria de máquinas e implementos quando se trata da evolução do plantio direto no Brasil?


Paulo Arbex: Sem dúvida a agricultura brasileira evoluiu devido ao aumento da área plantada em sistema de plantio direto. Baseado nisso o produtor teve que se capacitar para aderir ao sistema também.


Os maiores desafios da indústria de máquinas e implementos são dois: produção de máquinas capazes de fazer uma dessecação correta da palha e máquinas que consigam fazer o corte da palha para o plantio de forma eficiente. 


Scot Consultoria: Existe algum tipo de restrição quanto ao tipo de solo para a utilização de semeadoras para plantio direto?


Paulo Arbex: Não há restrição, porém em solos argilosos há uma maior possibilidade de embuchamento da máquina, principalmente quando se trabalha com alta umidade do solo.


Scot Consultoria: Qual o maior erro que o produtor pode cometer no manejo do plantio direto?


Paulo Arbex: O maior erro que o produtor pode cometer é achar que o plantio direto faz milagre, ou seja, achar que é só dessecar a palha e entrar plantando. Isto é um erro muito grave.


O sistema de plantio direto, como o próprio nome diz, é um sistema; então não é uma atividade isolada, sendo que deve ser observado a parte física do solo (não deve haver compactação), deve-se fazer rotação de culturas, dessecação bem feita, regulagem da semeadora em relação a deposição de sementes na profundidade adequada, correção do solo e outros vários fatores.


Scot Consultoria: Qual o cuidado que o produtor deve ter para adequação da área antes da implantação do sistema?


Paulo Arbex: O produtor deve fazer todas as correções físicas e químicas necessárias, fazer a limpeza da área (retirada de pedras e tocos), fazer a sistematização da área e começar a implantação por pequenos talhões para dominar a técnica e depois expandir para as demais áreas. 


Paulo Arbex, engenheiro agrônomo e professor da Unesp de Botucatu.


                                                                                                                                              


 





O Encontro de Analistas da Scot Consultoria contemplará grandes especialistas do mercado que irão abordar fatos e expectativas que movimentam a economia e a pecuária nacional. Acesse encontrodeanalistas.com.br e garanta sua vaga. Dia 29/11 em São Paulo.


<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>

Buscar
Scot - Facebook Leite
 
Scot - Facebook Scot - Twitter Scot - Youtube Scot - Instagram Scot - Rss Scot - Linkedin

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos



Loja

Facebook