• Sexta-feira, 20 de maio de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Integração lavoura pecuária na Rota da Pecuária


Terça-feira, 17 de setembro de 2013 - 14h41

Engenheiro Agrônomo pela UNESP - Jaboticabal, em treinamento pela Scot Consultoria.


A realidade na pecuária atual é que devemos produzir mais em menos área e causar um menor impacto ambiental, nos preocupando com sustentabilidade e gestão dos recursos naturais. Ao encontro desse fato, a integração lavoura-pecuária e floresta (ILPF), torna-se cada vez mais uma realidade. Saindo do estudo, dos portões das universidades e adentrando as porteiras do Brasil afora.


Das fazendas visitadas no projeto Rota da Pecuária 37,2% apresentavam alguma área destinada à integração lavoura pecuária, e dentro desse universo visitamos diferentes tipos de integração. Figura 1.  



As áreas com integração lavoura-pecuária eram mais frequentes em lugares com um período seco muito definido, o que impossibilitava muitos agricultores fazer a safrinha do milho, com isso conciliar agricultura e pecuária em um mesmo sistema.


Dentre as diferentes formas de integração o capim mais utilizado foi o Brachiaria brizantha cv. Ruziziensis. O mesmo apresentou 6,4% das áreas de Brachiaria amostrada no projeto, todas provindas de áreas de integração.


Foram visitadas regiões que haviam implantado o sistema há mais de 10 anos, como a fazenda Missões Agropecuária (Campo novo do Parecis-MT), onde o agricultor, e também pecuarista, utilizava as áreas de lavoura durante a safra e, ao final do período fazia o plantio aéreo da forrageira, com a cultura em fase de terminação.


Após 40 dias do plantio os animais das áreas permanentes de pastagens iam para área de integração lavoura-pecuária, onde ficavam por 90 dias, e eram terminados no confinamento.


Na expedição encontramos áreas no primeiro ano de implantação do sistema, como na fazenda na fazenda Vera Cruz (Barra do Garças-MT) e, áreas com integração lavoura-pecuária e floresta em inicio de pastejo, após dois anos de agricultura e eucalipto, na fazenda Indaiá (Paraíso das Águas-MS).


Considerações finais


As fazendas que apresentavam ILPF passaram a adotar uma melhor gestão da atividade após a implantação desse sistema.  


A cooperação entre pecuária e agricultura era percebida entre os proprietários, que relataram melhoras nos ganhos de produtividade da lavoura e melhora no manejo de pastagens com a ILPF.


Cada vez se torna mais frequente a ILPF, trazendo benefícios, não só ambientais, como também melhorias na gestão econômica do sistema produtivo.



<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>

Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook