• Quarta-feira, 29 de junho de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Atacado e varejo


Sexta-feira, 26 de março de 2010 - 11h19

Atacado em alta pelo terceiro mês consecutivo. Em média, considerando todos os produtos pesquisados, o aumento foi de 5,1% em relação a fevereiro. Destaque para o leite longa vida (UHT) e para alguns queijos, cujos preços reagiram acima de 10%. O leite longa vida (UHT) subiu 37% em cinco meses. Em relação ao mesmo período de 2009, por exemplo, o produto está 22% mais caro no atacado. No varejo, essa alta também foi sentida pelo consumidor. Em março, o preço médio do leite longa vida integral subiu 12%. Em Paulo, a variação entre os preços mínimo e máximo chega a 33%. Veja a tabela abaixo. Observe a figura 1. A margem de comercialização do leite longa vida no varejo em relação ao atacado é de 11%. A média dos últimos três anos foi de 15%. Considerando toda a cadeia, do produtor até a ponta consumidora, o longa vida é vendido a um valor 179% acima do que recebe o produtor pelo leite cru. Por fim, a queda na captação da matéria-prima tem afetado, além da produção de leite fluído - UHT e pasteurizado -, a produção de queijos. Esses produtos ficaram quase 8% mais caros no atacado em março. Embora no atacado os queijos estejam mais caros, pois a indústria está pagando mais pela matéria-prima, no varejo a situação é inversa. Com a demanda fraca, quase todos os tipos de queijo se desvalorizaram. A alta do leite longa vida tem feito muito consumidor optar pelo leite pasteurizado. Com a maior demanda, as cotações subiram 9% no varejo.
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook