• Sábado, 13 de agosto de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Como a carne subiu!


Terça-feira, 28 de dezembro de 2010 - 14h10

Em 2010, a medida que o ano avançava, crescia a expectativa de aumento na oferta de gado. O aumento aconteceu, mas a demanda foi maior. O mercado interno deu sinais de que a desconfiança gerada pela crise econômica que esfriou o consumo doméstico em 2009 chegara ao fim. A população voltou a consumir e os índices econômicos, tais como taxa de desemprego e renda melhoraram. Nesse contexto, a carne bovina se destacou. Com uma relação bastante estreita entre aumento de renda e elevação de consumo, a demanda cresceu. O mercado externo também se recuperou em 2010. Entre janeiro e setembro, as exportações de carne bovina, em volume, foram 4% maiores comparadas ao mesmo período de 2009. Em julho, por exemplo, os embarques de carne bovina in natura, 132 mil tec, praticamente se igualaram aos maiores resultados do pré-crise. Poderia ter sido melhor, mas em abril os Estados Unidos alegaram ter encontrado resíduos de ivermectina acima do permitido na carne bovina industrializada importada do Brasil e, a partir daí, as exportações para aquele país, nosso maior cliente de carne industrializada, foram suspensas. Além disso, a crise na zona do euro esfriou os embarques para o bloco, importante comprador de carne bovina in natura do Brasil. Apesar dessas reduções de mercado, faltou boi, e o consumo aumentava. Oferta pequena e demanda em alta fizeram os preços da carne bovina subirem. Esse movimento de alta foi mais evidente no segundo semestre, quando, em função da entressafra, a oferta ficou ainda menor. Os preços da carne bovina dispararam. Figura 1. Em São Paulo, o filé mignon, no mercado atacadista, subiu 83% entre janeiro e dezembro e a picanha 70%, atingindo preços recordes. No mercado de carne com osso, o traseiro 1x1 chegou a inéditos R$9,00/kg na primeira semana de novembro. Esse cenário de alta foi, em certa medida, repassado pelos supermercados e açougues ao consumidor final, o que deu estímulo à substituição do consumo de carne bovina por proteínas alternativas, como a de frango. Veja na figura 2 como o preço da carne bovina subiu ao longo do ano. Os preços no varejo em dezembro estão maiores, comparados a períodos anteriores. Mesmo quando se confronta com dezembro de 2008, mês de aumento sazonal de vendas, ano de arroba em alta, e quando a crise ainda não era sentida no mercado interno, os preços de dezembro de 2010 ainda são maiores. As valorizações até novembro de 2010 foram tão intensas que o aumento sazonal das vendas em dezembro foi afetado negativamente. A carne bovina praticamente não encontrou espaço para reajustes expressivos no último mês do ano, como normalmente ocorre. Como o preço da carne bovina subiu!
<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook