• Terça-feira, 23 de abril de 2019
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

O agronegócio ainda cresce, mas o câmbio pode ancorar!


Terça-feira, 5 de julho de 2005 - 12h59

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Roberto Rodrigues, afirmou nesta segunda-feira, dia 4 de julho, que a atual valorização do real frente ao dólar pode afetar o crescimento do setor agrícola no país.

O Brasil continua crescendo nas exportações, no produto interno bruto e no agronegócio. No entanto, com o câmbio nos patamares atuais, ninguém pode prever até onde os bons resultados vão.

O ministro lembrou o caso da soja que atualmente, em dólares, está num bom patamar, enquanto em reais, os preços de R$27,50 (em São Paulo) por saca praticamente não cobre os custos de quem produz menos de 3 mil kg por hectare.

Na pecuária, o mesmo raciocínio:
- o boi gordo, que passa pelos piores preços históricos quando se compara valores em reais corrigidos pelo IGP-DI, vale US$ 23,00/@ em São Paulo, valor alto.
- o leite, cujos preços estão em queda indo para patamares já desfavoráveis, especialmente considerando-se o período de entressafra, está cotado em US$0,24/litro indo para US$ 0,23/litro, média nacional. Embora historicamente os preços do leite estejam melhores quando comparados à situação da pecuária de corte, a cotação em dólar não reflete a realidade atual.

Vale lembrar que os produtores rurais plantaram, e provavelmente pagaram as contas, nos últimos meses de 2004. Compraram fertilizantes, defensivos, sementes, maquinários, etc.

Na época, o dólar, que indexa grande parte dos insumos, estava em torno de R$ 2,90. Atualmente, época das vendas da safra agrícola, o câmbio veio para patamares próximos de R$ 2,40/US$, valor 16% abaixo do câmbio do final de 2004. Portanto, os custos foram incorporados às empresas numa realidade econômica muito diferente da atual: o produtor perdeu renda com os preços mais baixos e os custos de diversos insumos são superiores à realidade atual, apenas por conta da economia. E pior. Há o risco de que as compras de insumos, para a próxima safra, ocorram num período de aumento nas cotações do dólar. O IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) estimou em R$2,95 a cotação média do dólar para 2006. Sendo assim, a crise do setor agropecuário pode ser bem pior do que se apresenta. (MPN)
<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar
Scot - Facebook Leite
 
Scot - Facebook Scot - Twitter Scot - Youtube Scot - Instagram Scot - Rss Scot - Linkedin

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos



TV Scot

Podcasts



Loja

Facebook





  • Copyright 2019, Scot Consultoria, Rua Coronel Conrado Caldeira, 578 • Bebedouro - SP - Brasil - 14701-000 | +55 17 3343 5111