• Terça-feira, 16 de agosto de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Crie juízo e atenção à cria


Terça-feira, 4 de agosto de 2015 - 11h00

Não basta apenas negociar, é preciso utilizar a calculadora e somar todo o check list direto e indireto que compreende o seu negócio, principalmente em um momento em que há recuo no valor da arroba. (confira ao final dados do Cepea relacionados ao mês de julho).


Quem extrai o retrato deste mercado é o zootecnista e consultor da Scot Consultoria (Bebebouro/SP), Alex Santos Lopes.


O preço do bezerro, desde 2014, teve um crescimento de até 40%, dependendo da praça, acima da valorização da @ do boi gordo, elenca. Neste sentido, segundo Lopes, o cenário acarretou uma piora na relação de troca para o invernista e engordador, alerta.


Para ele, a previsão de 2015, levando em conta o atual cenário macroeconômico nacional, é para um patamar de preço da @ interessante, mas sem exacerbada elevação em função da retração de consumo. "Se em 2016 o panorama político econômico não melhorar, poderá ser um ano não tão bom", destaca santos. (Confira, no final da matéria, nas "notícias do conglomerado de Niemeyer", o que aponta o mercado macroeconômico para o restante de 2015 e projeções para 2016). Vale destacar que foi nos dois últimos meses que a @ desvalorizou, sendo que a margem de crescimento, iniciada em 2014, foi positiva nos últimos dois anos.


O preço estimado em R$ 1,3 mil para o bezerro, ou mesmo os R$ 1,4 mil como visto no centro-sul, mostra que a alta está atrelada à oferta, seja de boi ou bezerro. "Aliado a isso está a entrada da agricultura em fazendas até então dedicadas à cria, demonstrando que esses são fatores que fundiram para este processo de agravamento que é visto hoje", pontua Lopes.


Para o criador que souber aproveitar o momento do ciclo, Lopes destaca a necessidade de investimento em tecnologias, já que em 2016, na avaliação do profissional, ainda é um mistério ao se tratar em comportamento de preços. "Avaliando pelo ciclo de produção da pecuária, deveria ser um bom ano, entretanto, com os problemas macroeconômicos, que refletem na demanda, é necessário atenção. é importante ganhar escala utilizando, por exemplo, matrizes de potencial produtivo apurado para assim desmamar bezerros mais pesados e em maior quantidade", descreve.


Pensando em 2017 e olhando pela ótica da ordem natural, deve haver reversão deste quadro altista. Quando há um aumento expressivo no preço, como em 2014 e 2015, a tendência do criador é reter vacas e produzir bezerros, haja vista o bom negócio. "A expectativa é que haja uma oferta maior de bezerros em 2017, levando a pecuária de corte para o famoso ciclo de baixa", alinha o consultor.


Notícias do conglomerado de Niemeyer


O ponto positivo para a nova meta do ajuste fiscal do governo, sete vezes menor do que a primeira, na avaliação de economistas, é que ela se torne mais realista. Contudo, com um prazo mais estendido para o reajuste e retomada de crescimento, afetando sobretudo e por mais tempo a população. O objetivo inicial era chegar ao fim deste ano com R$ 66,3 bilhões de superávit, ou 1,1% do PIB nacional. Em 23 de julho a equipe econômica do governo anunciou atingir R$ 8,7 bilhões, ou 0,15% do PIB.


Fonte: Jornal da Globo/MB associados.


Aviso Cepea


O ritmo de negócios de boi gordo continuou lento na primeira quinzena de julho. A entrada e saída de operadores (necessidade imediata de compra ou venda) fez com que as médias diárias oscilassem em até R$5,00.


No dia 15 de julho, o indicador ESALQ/BM&FBovespa (Estado de São Paulo) fechou a R$ 140,87, queda de 1,95% no acumulado do mês.


Fonte: Cepea.


Fonte: Revista Feed&Food, edição no. 07 (julho/agosto/setembro/2015). Texto de Arthur Rodrigo Ribeiro. - http://www.revistafeedfood.com.br/pub/curuca/ (pág. 34)



<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>

Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook