• Sábado, 13 de agosto de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Crise na Rússia e Venezuela reduz exportação de carne bovina


Terça-feira, 23 de junho de 2015 - 11h09

As exportações brasileiras de carne bovina caíram 17,1% em volume (de 632 mil para 524 mil toneladas) e 20,8% em valor (de US$ 2,8 bilhões para US$ 2,8 bilhão) nos cinco primeiros meses do ano em relação ao mesmo período de 2014, segundo dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Apesar da queda nos negócios, o valor da arroba do boi gordo se mantém estável em R$ 150 no mercado doméstico.


De acordo com Alex Lopes, analista da Scot Consultoria, a queda nas exportações está relacionada ao fato de o Brasil, apesar de vender carne bovina para muitos países, concentrar a maior parte de suas vendas em poucos compradores.


"Cinco países compram 60% da carne brasileira. Com a Rússia sofrendo sanções econômicas por causa da guerra com a Ucrânia e o problema financeiro associado à queda do petróleo, que também afeta a Venezuela, os dois estão comprando menos", afirma. A redução no volume importado por Rússia e Venezuela foi 42,4% e 69,8%, respectivamente.


Arroba


Mesmo com a instabilidade do mercado internacional nos últimos meses, a bovinocultura continua vivendo à margem da crise econômica. A arroba segue em patamares elevados, R$ 150. A explicação para a manutenção do valor é a falta de oferta. "O preço subiu 40% desde o início de 2014 e agora permanece estável pela falta de matéria-prima. A recuperação da oferta é um processo lento que deve ocorrer a partir de 2017", pondera Lopes.


Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil tem hoje cerca de 210 milhões de bovinos, sendo 30% gado de leite - dado que é contestado pelo setor produtivo. Para Humberto de Almeida Barros Junior, diretor de pecuária da Sociedade Rural do Paraná, atualmente o rebanho brasileiro é de no máximo 190 milhões de cabeças. Sem animal para abate, 26 frigoríficos em vários estados fecharam as portas recentemente.


Exportação de carne para os Estados Unidos está encaminhada

Após uma série de negociações, o Brasil já está em condições de iniciar a exportação de carne bovina para os Estados Unidos. O país já teria liberado uma cota de embarques sem a incidência de tarifas, conforme revelou à agência Reuters o diretor-presidente da Marfrig, Martin Secco Arias.


Ele apontou que abertura do mercado norte-americano e também o da China são importantes apostas da empresa para alavancar os negócios de sua unidade de bovinos na América do Sul, a Marfrig Beef, após vender para a JBS a unidade europeia da Moy Park, em transação divulgada no último domingo (21).


A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Kátia Abreu, vem participando ativamente das negociações e estima que as exportações de carne in natura devem se concretizar a partir de agosto. O anúncio oficial da consolidação do mercado deve acontecer a visita da presidente Dilma Rousseff a Washington no fim deste mês.


314,8 mil


Foram as toneladas de carne bovina do Brasil importadas pela Rússia no ano passado, volume que rendeu ao setor US$ 1,3 bilhão. O país foi o segundo maior comprador da proteína animal brasileira. Porém, diante do embargo econômico imposto por diversos países por conta da guerra com a Ucrânia, os números não devem se repetir, o que atinge diretamente os embarques brasileiros.


Fonte: Gazeta do Povo, por Jones Rossi. Publicado em 22/06/2015 - http://agro.gazetadopovo.com.br/noticias/pecuaria/bovinos/crise-na-russia-e-venezuela-reduz-exportacao-de-carne-bovina/



<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>

Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook