• Quarta-feira, 29 de junho de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Pecuarista de São Paulo também vai lucrar mais com o “boi de elite”


Terça-feira, 26 de agosto de 2008 - 17h48

Com a possibilidade de receber habilitação para vender gado tipo exportação que atenda às exigências dos europeus, os pecuaristas de São Paulo também vão fornecer bovinos em um mercado a parte, o boi de elite, e receber prêmios sobre a arroba. O baixo número de fazendas que podem vender gado para os frigoríficos fornecedores do bloco acabou criando esse segmento descolado do mercado convencional. A arroba dos animais adequados acaba valendo até R$15,00 a mais sobre o preço de mercado em certas regiões. Em Minas Gerais, os exemplos estão nas regiões do Triângulo Mineiro e de Montes Claros, segundo Gilman Viana Rodrigues, secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento daquele estado. “Nessas regiões, a arroba do bovino adequado pode chegar a R$100,00”, diz Rodrigues. O animal que pode ser abatido e comercializado para os europeus é caro porque a oferta é restrita. Deve vir de propriedade localizada em região habilitada, a fazenda tem de estar cadastrada no Eras (novo Sisbov) e, além disso, também constar na listagem aprovada pelos europeus. “Mas não basta que a propriedade cumpra esses quesitos. Também é verificada a qualidade do animal”, lembra Fabiano Tito Rosa, consultor da Scot Consultoria. O europeu tem uma série de exigências no que diz respeito à qualidade. Dessa maneira, para que o frigorífico consiga comercializar o corte desejado, tem que comprar um animal que responda a certas especificidades em relação à cobertura de gordura e idade, por exemplo. 109 pedidos Ontem, a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo reunia 109 fazendas interessadas em passar por vistoria para ganhar habilitação dos europeus. A intenção da Secretaria é visitar cerca de 20 propriedades por semana. Segundo Juan Lebrón, diretor operacional da Assocon (entidade que reúne confinadores), o governo vai precisar dispor de mais técnicos para conseguir atender ao volume de solicitações, já que os paulistas têm interesse em fazer parte da lista. No País, hoje, o número total de fazendas habilitadas é de 159. Segundo especialistas, mesmo com novas habilitações, o número de fazendas fornecedoras ainda será baixo por enquanto, portanto, o mercado do “boi de elite” ainda existirá por determinado tempo. O preço da arroba e da carne deve seguir firme no segundo semestre no mercado interno, entre os motivos, pela melhor demanda de exportações, acredita Paulo Molinari, da Safras&Mercados. Fonte: DCI. Agronegócios. Por Érica Polo. 26 de agosto de 2008.
<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook