• Sábado, 25 de junho de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Preço da carne bovina continuará subindo


Segunda-feira, 21 de julho de 2008 - 09h10

O IGP-10 que foi divulgado hoje mostrou uma forte alta nos preços da carne bovina no atacado: 12,36% em junho. E tudo indica que o setor continuará pressionado. O que está acontecendo é que depois de um longo período de queda nos preços (entre 2002 e 2006), os produtores reduziram investimentos e abateram muitas fêmeas para conseguir compensar as perdas de receita. Normalmente, só bezerros são abatidos, mas como o cenário ficou ruim, as matrizes tiveram que ser sacrificadas. A queda nos preços tem vários motivos: a gripe aviária em países asiáticos, que derrubou o preço das aves no Brasil e obrigou as carnes a caírem também; o fortalecimento do real frente ao dólar, que prejudicou as exportações de carne e aumentou a oferta interna; a febre aftosa que fechou mercado para o Brasil e também contribuiu para aumento da oferta. Para se ter uma idéia da diferença na cotação dos preços, em junho de 2006 a arroba caiu a R$50,00. Hoje, está em R$96,00. Vejam gráfico abaixo. A partir de 2007, o preço da carne começou a se recuperar, por causa do aumento da renda das famílias em países em desenvolvimento. A demanda por carne bovina subiu. Estimulados, os produtores brasileiros investiram. Só que o aumento de produção de carne bovina demora muito para responder. Um bezerro só pode ser abatido depois de 3 ou 4 anos de idade. Na produção de frango, por exemplo, este período cai para cerca de 40 dias. - Os preços, na verdade, estão em recuperação e a tendência, para os próximos dois anos, é que o mercado se mantenha em alta - disse o consultor Fabiano Tito Rosa, da Scot Consultoria. Fonte: Miriam Leitão.com. Por Álvaro Gribel. 18 de julho de 2008.
<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook