• Sábado, 2 de julho de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Preço do boi recua 1,2% no Brasil


Sexta-feira, 18 de julho de 2008 - 09h17

O preço do boi gordo recuou 1,2% na última semana, segundo dados da Scot Consultoria. A maior queda foi verificada no Noroeste do Paraná, onde a cotação da arroba saiu de R$91,00 para R$88,00, queda de 3,3%. A pesquisa da Scot é feita em 28 regiões do País. De acordo com a consultoria, o mercado está pressionado em função de um ligeiro aumento de oferta, sobretudo, pela dificuldade de escoamento de carne. No atacado paulista, o quilo da carne passou de R$5,35 para R$5,06, recuo de 5,4%. As elevações nos preços foram registradas apenas nas regiões de Pelotas (RS), de 1,8%, no Sul da Bahia, de 1,3%, e no Oeste do Maranhão, de 1,3%, segundo a Scot. A dificuldade de escoamento da carne está evidente na queda das exportações de carne bovina no País. De acordo com a Associação das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec), os embarques neste semestre foram 19% menores que em igual período de 2007. O recuo foi de 1,3 milhão de toneladas para 1 milhão (equivalente carcaça). Por outro lado, os preços internacionais melhores elevaram a receita em 13% no período. Foram US$2,5 bilhões, ante os US$2,2 bilhões de 2007. O presidente da Abiec, Roberto Giannetti da Fonseca, diz que os números do semestre refletem um período de pouca oferta de animais para o abate. Os preços altos no mercado internacional também contribuíram para uma forte retração no volume exportado. Nos primeiros cinco meses deste ano os preços da tonelada subiram, em média, 40%, comparado com igual período de 2007. No ranking dos países importadores de carne in natura, a Rússia manteve a liderança no embarque em volume, com 296 mil toneladas e em valor, com US$713 milhões. Os Estados Unidos continuam como líderes na compra de carne industrializada. Foram US$129 milhões. Em volume, lidera o Reino Unido, com 64 mil toneladas. "Para aumentar o volume exportado, a Abiec espera reabrir o mercado do Chile, recuperar as exportações para Europa, contribuir para o aprimoramento do Sisbov e apostar na abertura de novos mercados", destacou. Na quarta-feira, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) entregou ao Ministério da Agricultura o Relatório de Recomendações sobre a Instrução Normativa 17, que regulamenta o Serviço de Rastreabilidade da Cadeia Produtiva de Bovinos e Bubalinos (Sisbov). O relatório é resultado de diversas reuniões da Comissão Consultiva do Sisbov e inclui soluções aprovadas em testes de campo. O relatório ainda será discutido com o Ministério. Fonte: Gazeta Mercantil. Agronegócio. 18 de julho de 2008.
<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook