• Sábado, 25 de junho de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Cotação do boi em dólar é a maior em 37 anos no país


Quinta-feira, 20 de março de 2008 - 10h19

Já foi o tempo em que se falava em arroba do boi gordo na casa dos US$20 no Brasil. Este mês, o boi alcançou US$45,34 em São Paulo, mercado de referência no país, segundo a Scot Consultoria. O valor, nominal, é o maior desde 1970, quando teve início a série histórica da Scot, que tem também dados do Instituto de Economia Agrícola (IEA). Para chegar ao valor em dólar, a consultoria considerou o preço médio do boi gordo em março (até dia 17), de R$76,45 e um dólar médio no mês de R$1,686. De acordo com Fabiano Tito Rosa, analista da Scot, a forte valorização da arroba em reais - por causa da mudança no ciclo de produção do boi, que reduziu a oferta - e a queda do dólar em relação ao real explicam o novo quadro. Nos últimos 12 meses até ontem, o dólar se desvalorizou 18,7% ante a moeda brasileira, conforme o Valor Data. O preço maior do boi em dólar afeta principalmente os exportadores de carne, já que a matéria-prima responde por 80% dos custos de produção dos frigoríficos, observa Tito Rosa. "O boi está subindo em dólar, mas a carne exportada não sobe com a mesma intensidade". Em relação a março de 2007 - quando o valor da arroba estava em US$27,15 - a alta do boi foi de 67%. Entre fevereiro de 2007 e o mesmo mês deste ano, porém, a carne bovina in natura exportada pelo Brasil subiu 37%, saindo de US$1.871,95, em média, para US$2.561,25 por tonelada (equivalente carcaça), informa a Scot. Os meses de comparação são diferentes porque os dados de fevereiro são os últimos disponíveis para as exportações de carne bovina. Para piorar o quadro, "perdemos nosso melhor cliente", disse Tito Rosa, referindo-se à União Européia, que restringiu as importações brasileiras do produto alegando falhas no sistema de rastreabilidade do gado brasileiro. Historicamente, a arroba do boi ficava entre US$20 e US$25, mas já atingiu US$31,60 ano passado, segundo a AgriPoint Consultoria. Nos atuais US$45,34, já figura entre as mais caras do mundo, à frente de Argentina (US$33,31), Uruguai (US$39,00), Paraguai (US$38,70) e Austrália (US$36,30), conforme a Scot. Ainda está bem atrás dos US$60,57 da arroba do boi nos EUA, preço médio apurado em fevereiro pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). Mas diante da oferta apertada e dólar fraco, Tito Rosa avalia que o preço em dólar no Brasil "pode encostar nos US$60". Miguel da Rocha Cavalcanti, da AgriPoint, observa que até o ano passado o preço da arroba no Brasil era inferior, em dólar, ao do Uruguai e não era muito diferente do valor na Argentina. Acontece que por aqui o ajuste na pecuária e a desvalorização do real têm sido mais fortes que nesses países. Para se ter uma idéia do tamanho do ajuste - provocado pelo descarte de matrizes nos últimos anos, em janeiro passado, o abate de bovinos certificado pelo SIF (Serviço de Inspeção Federal), caiu 19% sobre o mesmo mês de 2007, para cerca de 1,8 milhão de cabeças, informa Cavalcanti. "Os frigoríficos se expandiram, a demanda cresceu, mas a oferta [de gado] diminuiu", comentou. Fonte: Valor Econômico. Por Alda do Amaral Rocha. 19 de março de 2008.
<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook