• Quinta-feira, 18 de agosto de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Preços de boi gordo mantêm firmeza


Segunda-feira, 16 de agosto de 2010 - 17h28

Os preços do boi gordo seguem firmes nas várias regiões de produção do Brasil, refletindo o período de transição entre safra e entressafra e a ainda pequena oferta de animais de confinamento. De acordo com levantamento da Scot, a arroba do boi era negociada por R$86,00 (a prazo) ontem em São Paulo, acima dos R$84,50 por arroba do começo do mês e dos R$83,00 no dia 13 de julho. “Já há animais saindo do confinamento, mas o volume ainda é pequeno para atender a demanda dos frigoríficos”, disse Alex Lopes, analista da Scot Consultoria. Ao mesmo tempo, as pastagens secaram, reduzindo a oferta de bois criados de forma extensiva. “E há um déficit de animais por causa do ciclo de baixa da produção”, acrescentou. A razão para a baixa é o abate elevado de matrizes há cerca de quatro anos. A expectativa, segundo Lopes, é de que a oferta de animais de confinamento comece a aumentar a partir do próximo mês, o que deve se refletir nas cotações. De qualquer forma, a projeção é de uma menor disponibilidade de bois confinados este ano, de acordo com a Scot. Os preços do boi gordo estão mais altos também em outras importantes regiões de pecuária do país. Em Dourados, segundo a Scot, a arroba estava cotada a R$81,00 na sexta. No início de agosto esava em R$80,00 e em 13 de julho, R$79,00. No norte de Mato Grosso, a arroba saiu de R$71,00 há um mês, para R$72,00 no começo de agosto e R$74,00 na sexta-feira, segundo a consultoria. Fonte: Valor Econômico. Agronegócios. Por Aldo Rocha do Amaral. 16 de agosto de 2010.
<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook